skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
04 junho 2023
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

24 de Junho: Dia 1 de Portugal “abre-se ao público” no Campo de São Mamede

Bruno José Ferreira
Cultura \ quarta-feira, junho 08, 2022
© Direitos reservados
O Campo de São Mamede será o palco da sessão solene do 24 de Junho - Dia 1 de Portugal, tornando a habitual cerimónia num "espetáculo". "Abrir ao público" a "data da nossa nacionalidade" é a missão.

A luta vimaranense de tornar o feriado municipal do Dia 24 de Junho, dia em que se celebra a Batalha de São Mamede, considerado o Dia 1 de Portugal, terá este ano uma nova dinâmica com a ambição de “transformar a sessão solene numa sessão participada”, tendo como palco o Campo de São Mamede, com vista para o Castelo de Guimarães.

Esta é a grande novidade das comemorações do 24 de Junho, a sessão solene, com cunho protocolar, será transformada num “espetáculo dinamizado com agentes locais" e, mais do que isso, “permitindo que todos participem, através da abertura ao grande público”, conforme referiu Paulo Lopes Silva.

No Museu Alberto Sampaio, o vereador com o pelouro da cultura vincou a vontade de “afirmar este Dia 1 de Portugal como algo que passe para lá das fronteiras de Guimarães para todo o país”. “Esta é a data fundadora da nossa nacionalidade”, sublinhou, apelando, por isso, à participação das pessoas na celebração do feriado municipal.

 

Do Campo da Ataca à Feira Afonsina

Para além das cerimónias habituais, as celebrações este ano iniciam-se na véspera, 23 de junho, em São Torcato com a inauguração de um mural alusivo à Batalha de São Mamede no Campo da Ataca. Paulo Lopes Silva deu a conhecer que este local, onde se iniciou a batalha, será alvo de uma “reativação” uma vez que os acessos viários serão intervencionados.

Também inserida nestas comemorações, a Feira Afonsina atrairá a Guimarães centenas de milhares de pessoas e o vereador alerta o comércio e restauração para que se “preparem para a grande procura perspetivada”. A prioridade “foi dada às associações e entidades locais”, no que à oferta gastronómica diz respeito, sendo que na parte inferior do recinto não haverá barracas de comes e bebes.

A intenção é “dar oportunidade aos bares e restaurantes da Vila de Baixo beneficiarem com a Feira Afonsina depois de dois anos de pandemia”, podendo também eles fazer parte das festividades. O tema deste ano da Feira Afonsino é “Do Condado ao Reino”, conforme apresentou Isabel Pinho, chefe da Divisão de Cultura da Câmara Municipal de Guimarães.

 

“Cunho científico” com jornadas e revista

A juntar às manifestações mais populares, o município pretende também continuar a dar “cunho científico” ao Dia 1 de Portugal, e às recriações transmitidas na Feira Afonsina, pelo que se realizará a terceira edição das Jornadas Históricas com conferências com “especialistas” e também para “dar a conhecer os trabalhos de jovens investigadores”, disse Isabel Fernandes, diretora do Paço dos Duques, Museu de Alberto Sampaio e Castelo de Guimarães.

Este cunho científico será depois vertido em revista, na terceira Revista Afonsina, um “desafio” abraçado pela Sociedade Martins Sarmento. “Foi ponto de honra que houvesse uma versão escrita”, disse Antero Ferreira, presidente da Sociedade Martins Sarmento, acrescentando que as revistas "têm tem sido um sucesso” graças ao contributo de investigadores e especialistas, alguns deles estrangeiros -essencialmente espanhóis – que têm dado um cunho internacional quer às jornadas quer à revista.

Entre 23 e 26 de junho Guimarães reviverá a época medieval com a Feira Afonsina, contando pelo meio com a celebração do feriado municipal do dia 24 de Junho, Dia 1 de Portugal. Alargar horizontes, ao “celebrar este dia em todo o país, não pelo São João, mas pelo Dia 1 de Portugal” é o objetivo.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: Guimarães em Debate #69