skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
27 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Durante as obras, alunos de São Torcato devem ter aulas no Verbo Divino

Tiago Mendes Dias
Educação \ quinta-feira, fevereiro 09, 2023
© Direitos reservados
Questionado pela oposição sobre a empreitada na EB 2 e 3, com a acusação de “inércia” à mistura, Domingos Bragança anunciou o sítio mais provável para colocar os alunos, embora haja outros em aberto.

O antigo seminário do Verbo Divino, nas Cancelas da Veiga, freguesia de Azurém, é a opção mais provável para prosseguir a atividade letiva da escola EB 2 e 3 de São Torcato enquanto se desenrolarem as obras para a escola edificada no centro da vila, que serve ainda as populações de Aldão, de Gonça, da União de Freguesias de Selho São Lourenço e Gominhães, da União de Freguesias de Atães e Rendufe e ainda da União de Freguesias de Arosa e Castelões.

“Os alunos à partida irão ser instalados no Verbo Divino. Se não for, arranja-se outro espaço para os alunos estarem instalados”, afirmou esta quinta-feira o presidente da Câmara Municipal, Domingo Bragança, a propósito de uma infraestrutura que, por exemplo, foi centro de vacinação contra o coronavírus SARS-CoV-2, numa fase mais tardia da pandemia, e que também acolheu refugiados ucranianos nas semanas que se seguiram à invasão a larga escala daquele país pela Federação Russa a partir de 24 de fevereiro de 2022.

A escolha está por fechar a cerca de três semanas do início das obras numa escola fundada em 1983. O autarca confirmou a receção do visto do Tribunal de Contas no início da semana, pelo que a obra arranca mal seja assinado o contrato entre a Câmara e a construtora a quem foi adjudicado o projeto, a NVE Engenharias.

Adjudicada por 5,3 milhões de euros, a obra apresenta um prazo de execução de ano e meio, deslocalizando alunos, docentes e funcionários no que resta do ano letivo 2022/23 e em todo o ano letivo 2023/24.

Um dos vereadores da coligação Juntos por Guimarães (JpG), Ricardo Araújo, criticou, porém, o facto de não haver “solução” definitiva para a colocação dos alunos. “Numa obra que demorou tanto tempo a ir para o terreno e já era suposto ter iniciado em janeiro, a Câmara ainda está a encontrar soluções para instalar os alunos: se o Verbo Divino ou se os contentores”, apontou o social-democrata, criticando a “inércia” do município nesta e noutras áreas.

A obra, recorde-se, foi adjudicada a 29 de novembro de 2022, com a proposta a ser aprovada na reunião do executivo municipal, quase dois anos depois de o projeto de arquitetura ter sido apresentado no mesmo local, a 07 de janeiro de 2021.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73