skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
24 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Antigo jogador do Vitória e da seleção, Rui Rodrigues morre aos 80 anos

Redação
Desporto \ sexta-feira, fevereiro 23, 2024
© Direitos reservados
Internacional português em 12 ocasiões, defesa central jogou em Guimarães entre 1974 e 1976, após distinguir-se na Académica e no Benfica. Disputou a final da Taça de Portugal com o Boavista.

Antigo defesa central do Vitória SC, nas épocas 1974/75 e 1975/76, Rui Rodrigues morreu esta sexta-feira, aos 80 anos.

Internacional português em 12 ocasiões, o jogador nascido em Moçambique transferiu-se do Benfica para o Vitória na época 1974/75, com 31 anos, e impôs-se no eixo da defesa da equipa treinada por Mário Wilson, reconhecida pelo trio Romeu, Tito e Jeremias, que em muito contribuiu para os pretos e brancos serem o melhor ataque do campeonato, com 64 golos marcados.

Rui Rodrigues continuou em Guimarães na época seguinte, marcada pela final da Taça de Portugal disputada no antigo Estádio das Antas, no Porto, frente ao Boavista; os vitorianos perderiam por 2-1, num jogo lembrado pela arbitragem de António Garrido.

O defesa jogou no Vitória após destacar-se no Benfica entre 1971 e 1974, período em que se sagrou campeão nacional por duas vezes, uma delas invicto, e na Académica, clube pelo qual foi vice-campeão numa ocasião, entre 1962 e 1971, e ao qual regressaria em 1976, para mais três épocas ao serviço dos estudantes.

O Vitória SC lamentou a morte do seu antigo futebolista: “O Vitória Sport Clube expressa o seu profundo pesar pelo falecimento do seu antigo jogador Rui Rodrigues aos 80 anos. Natural de Moçambique, Rui Rodrigues representou o Vitória SC entre 1974 e 1976, tendo-se sagrado campeão nacional por duas vezes ao serviço do Benfica. O antigo defesa central defendeu ainda as cores da Académica e da Seleção Nacional. À família e amigos de Rui Rodrigues, o Vitória SC endereça as mais sentidas condolências”.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73