skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
24 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Após a lesão, Bruno Varela volta a treinar com uma “equipa entusiasmada”

Redação
Desporto \ quarta-feira, março 20, 2024
© Direitos reservados
Afastado dos relvados há mês e meio, guarda-redes diz que sempre acreditou numa performance como a do campeonato e Taça, enaltece Charles e restantes colegas de setor e quer ver Jota pela seleção.

Finalizada a conversa com dezenas de alunos da EB 2 e 3 D. Manuel Faria e Sousa, em Felgueiras, um momento “sempre positivo” no qual se recebe o calor das pessoas, Bruno Varela revelou aos jornalistas que já voltou aos treinos esta quarta-feira, após superar uma rotura muscular que o afastou dos relvados a 04 de fevereiro, durante o triunfo em Vizela, para a 20.ª jornada da Liga Portugal Betclic.

"Já estou a treinar. Comecei hoje a treinar a 100% com a equipa. Acredito que, no próximo jogo, já estarei disponível para poder ajudar a equipa. É um processo chato. As lesões são sempre muito complicadas e muito chatas, independentemente do tempo que duram", disse, à margem da visita realizada no âmbito da iniciativa Conquistadores on Tour.

O guardião de 29 anos considera, porém, que a baliza vitoriana esteve bem servida ao longo do último mês e meio, com Charles a realizar mais seis jogos após entrar em Vizela. O internacional pela seleção de Cabo Verde elogia não só o guarda-redes brasileiro, como os outros dois colegas de setor: os jovens Rafa e Gui. “O Charles é um guarda-redes de muita qualidade e, nestes jogos, esteve muito bem. O Rafa é uma guarda-redes que tem muita qualidade. Temos o Gui, que é muito novo e tem estado sempre connosco. É um miúdo com muito potencial. O Vitória está muito bem servido de guarda-redes”, defendeu.

Esse conforto sentido quanto à baliza estende-se ao restante balneário, entusiasmado com a época em curso – quinto lugar, com 50 pontos, a três do quarto, Sporting de Braga, e meia-final da Taça de Portugal, com FC Porto. O grupo está ávido de disputar a série que se aproxima, com sete jogos entre 30 de março e 27 de abril, três deles com FC Porto. “O entusiasmo é grande, queremos jogar, esta sequência de jogos é boa, porque a equipa é muito competitiva”, disse, acrescentando: “São três jogos com o FC Porto num curto espaço de tempo. Ao terceiro jogo, já não vai ser preciso preparar muita coisa. Já os conhecemos bem”, disse, a propósito da Taça, com jogos marcados para 03 e 17 de abril, e do campeonato, que se realiza a 07.

O sonho, esse, está bem definido: conquistar a Taça de Portugal. O Vitória, diz Bruno Varela, “não se sente inferior à partida para a meia-final” e quer enraizar o hábito de dizer presente na hora das decisões, sem, contudo, deixar de pensar jogo a jogo. “Isso obviamente seria um sonho conquistar uma Taça de Portugal. Há essa ambição, mas o jogo a jogo, como temos feito até agora, é o mais importante”, realçou, após uma conversa em que participaram o treinador Álvaro Pacheco, antigo aluno daquela escola, o futebolista da equipa B vitoriana, Diogo Sousa, também residente em Felgueiras, e ainda o atleta de polo aquático Tiago Teixeira, além de três jogadores do FC Felgueiras.

 

“Eu vou ao estádio para ver o Jota”

Bruno Varela disse, aliás, que sempre acreditou que a equipa poderia fazer uma boa temporada, apesar das eliminações precoces na Liga Conferência Europa e na Taça da Liga e da instabilidade técnica que vigorou até outubro, com Moreno, João Aroso e Paulo Turra a precederem Álvaro Pacheco. “Eu acreditava, mas tenho a certeza que, se a maioria das pessoas disser que acreditava, não é verdade. Eu acreditava e os meus colegas acreditavam. Sempre soubemos da qualidade do grupo”, vincou.

Um dos elementos que ilustra essa qualidade é Jota Silva, autor de 13 golos e sete assistências numa época que pode ser coroada esta quinta-feira com a primeira internacionalização pela seleção portuguesa, no amigável com a Suécia, marcado para as 19h45, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães. Bruno Varela vai lá estar para ver um colega “muito resiliente”, que “trabalha muito”, concretizar um sonho.

“Eu vou ao estádio para ver o Jota. Queremos muito que o Jota possa ter oportunidade de se estrear. Seria muito especial para nós e, muito mais para ele, estrear-se pela seleção nacional no estádio do Vitória. Seria uma coisa incrível. Estamos muito felizes pela chamada do Jota. Sabemos que é um mérito muito grande do Jota e da equipa”, confessa.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73