skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
22 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

As procissões floridas voltam a Serzedelo em mais uma Festa das Cruzes

Redação
Cultura \ segunda-feira, abril 29, 2024
© Direitos reservados
Celebração distingue‐se pelas 16 cruzes revestidas a flores que se vão estender da residência paroquial à Capela do Senhor do Calvário, num domingo com a Procissão do Senhor dos Doentes e a Via Lucis.

As 16 cruzes à guarda de famílias de Serzedelo (e não só), gravadas na heráldica da freguesia, vão de novo encher‐se de flores no próximo fim de semana. Pétalas de cores várias darão vida a símbolos do martírio de Jesus Cristo, da liturgia católica, mas também profanos, gravados na madeira. A Festa das Cruzes está de regresso àquela terra onde o Selho se cruza com o Ave, culminando nas duas celebrações religiosas de domingo, património imaterial de Serzedelo.

As 16 cruzes de madeira começam a ser asseadas no sábado, 04 de maio, por norma nas casas de quem as guarda, e serão expostas nos seus nichos no domingo, 05 de maio, desde o largo da igreja até à Capela do Senhor do Calvário, na tarde de domingo, para se celebrar a Via Lucis a partir das 15h00.

Antes, na manhã de domingo, bem cedo, a população sai à rua ainda à luz dos candeeiros para elaborar os tapetes de flores e serrim, com vista à passadeira contínua, para que a Procissão do Senhor aos Doentes percorra os quilómetros que distância entre a igreja e a casa dos vários doentes. Esta procissão é iniciada pelas campainhas para anunciar a chegada da cruz do Senhor e do pálio com o padre José Ferreira Marques, na companhia da Fanfarra do Agrupamento 84 do CNE e da Banda de Música.

A Festa das Cruzes celebra ainda o 10.º aniversário do lançamento do livro e da exposição "As cruzes floridas da missão", da autoria de Sara Lafuente e Ricardo Cardoso. A exposição encontra-se nas janelas do salão paroquial de Santa Cristina de Serzedelo, e o livro encontra-se disponível em vários espaços da vila. 

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73