skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
20 junho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Autárquicas: partidos entregam listas com “expetativa” de passar “mensagem”

Redação
Política \ sexta-feira, julho 30, 2021
© Direitos reservados
Na hora da apresentação formal das candidaturas autárquicas em tribunal, as várias forças candidatas mostraram-se convencidas de que vão alcançar os seus objetivos a 26 de setembro.

* Tiago Mendes Dias Hugo Marcelo

A azáfama em redor do Tribunal Judicial de Guimarães ao início da tarde desta sexta-feira fez-se com muitos dos protagonistas da cena política local; as sete forças candidatas à presidência da Câmara nas Eleições Autárquicas de 26 de setembro apresentaram formalmente as listas, tal como o Reagir Incluir Reciclar (RIR) para a União de Freguesias de Oliveira do Castelo, São Paio e São Sebastião, cuja candidatura é liderada por Ricardo Garcia, e o movimento independente para a União de Freguesias de Airão Santa Maria, Airão São João e Vermil, encabeçado por Cindy Faria.

Os objetivos eleitorais variam consoante a força política, mas todos os partidos, através dos mandatários ou dos próprios candidatos, vincaram a intenção de irem ao encontro das “necessidades do eleitorado”. O Jornal de Guimarães apresenta os testemunhos das sete forças candidatas à presidência da Câmara Municipal de Guimarães.

 

PS: “Esperamos que a nossa mensagem passe para o eleitor”

À saída do tribunal, o atual presidente e recandidato à presidência da Assembleia Municipal disse que a apresentação formal da lista do PS é o “pontapé de saída de um tempo” em que o partido no poder há 32 anos a “trabalhar para merecer a confiança do eleitorado”. “Este é o pontapé de saída de um tempo até ao dia 26 em que esperamos que a nossa mensagem passe para o eleitor”, disse José João Torrinha, questionado pelo Grupo Santiago.

Instado a comentar a lista definitiva à Câmara Municipal, que se distingue pelas novidades Paulo Lopes Silva a número três e Nelson Felgueiras a número cinco, bem como pelas saídas de Ricardo Costa e de Fernando Seara de Sá, o dirigente socialista frisou que esses processos envolvem sempre “alguma complexidade”, já que se tratam da “escolha de pessoas”. “As escolhas merecem ponderação e uma avaliação daquelas que são as melhores equipas para levar à prática os nossos projetos”, afirmou.

José João Torrinha alertou ainda que o PS não conta com “resultados garantidos”, sendo necessário “respeitar o eleitor” e estar “imbuído do espírito da verdadeira democracia”, que obriga todas as forças no tabuleiro de xadrez a convencerem o “concidadão” de que têm a “melhor proposta”.

 

 

Juntos por Guimarães: “Com a máxima humildade democrática, as expetativas são ótimas”

Às portas do Palácio da Justiça, o mandatário da lista da coligação Juntos por Guimarães disse acreditar que a próxima campanha autárquica vai levar o candidato Bruno Fernandes à presidência da Câmara Municipal. “Com a máxima humildade democrática, [as expetativas] são ótimas. Temos excelentes expetativas. Cumpriu-se hoje mais um ato no sentido do processo eleitoral no timing por nós escolhido. Começamos hoje a nossa pré-campanha”, vincou Carlos Caneja Amorim.

A coligação formada pelo PSD e pelo CDS/PP quer também “aumentar o número de Juntas de Freguesia” sob a sua alçada, já que, na perspetiva do mandatário, existe “uma relação entre a conquista de juntas e a possibilidade de chegar a Santa Clara”. “Aumentando o número de juntas, aumenta a probabilidade de sucesso neste processo autárquico”, concluiu.

 

 

CDU: “Iremos voltar a ter um vereador na Câmara”

Momentos após a entrega da lista, o mandatário da CDU, Rui Afonso, vincou o objetivo de ter novamente um vereador no executivo municipal, após as Eleições de 2017 terem deixado a coligação sem qualquer representação. “Perdemos um vereador, mas temos a certeza que iremos voltar a ter um vereador na Câmara que fez muita falta. Até outras forças politicas se revêm neste discurso que estou a ter e vamos com muita confiança nesta equipa", referiu.

O responsável destacou ainda o sentido coletivo da atuação da CDU. "Acabamos de entregar as listas de todas a juntas de freguesia. As expetativas são boas porque esta equipa vai-se renovando ano após ano e tem conseguido responder às necessidades das populações. Estamos sempre lá com um coletivo muito forte”, disse.

Relativamente à dificuldade em juntar candidatos em todas as freguesias, Rui Afonso considerou que a união entre comunistas e ecologistas tem sido resistente. "É um processo que já estamos muito habituados, sabemos que há sempre gente que é pressionada e não pode entrar na lista e isso acaba por jogar um pouco contra nós, mas conseguimos sempre", disse.

 

 

BE: “Propostas que colocam Guimarães nos valores do desenvolvimento atual”

No dia da apresentação formal das listas, o Bloco de Esquerda (BE) apresentou oficialmente os candidatos à Câmara Municipal e à Assembleia Municipal numa cerimónia decorrida na noite de sexta-feira, na Plataforma das Artes. A mandatária da candidatura, Paula Magalhães, frisou que o momento solene mostra que “a democracia está viva” em Guimarães. “Aceitei ser mandatária do BE com o maior orgulho. As propostas do BE são aquelas que colocam Guimarães nos valores do desenvolvimento atual, preparando o concelho para o futuro”, vincou a também número três à Assembleia.

Para a responsável, o Bloco é a força que melhor “defende o interesse das pessoas de Guimarães” face a uma “gestão autárquica” que tem sido “francamente má”, seja na gestão dos solos de reserva ecológica, seja a nível do trânsito da cidade e da periferia, da falta de transporte público ou pela falta de respeito pela “memória industrial” de Guimarães.

Numa cerimónia em que os já conhecidos candidatos à presidência da Assembleia Municipal, Sónia Ribeiro, e da Câmara Municipal, Luís Pinto Lisboa, alertaram para os problemas da habitação e da mobilidade num município cujo poder só é “socialista de nome”, também interveio o eurodeputado José Gusmão. O representante bloquista no Parlamento Europeu lamentou a “monocultura democrática” em que Guimarães vive há 32 anos, falhando principalmente na habitação, com “bairros sociais” que fomentam a “exclusão” e não a inclusão.

 

Chega: “Estamos apenas com vontade de trabalhar pela nossa terra"

Aquando da apresentação do processo eleitoral em tribunal, o mandatário da candidatura do Chega realçou que o partido não vai às Eleições Autárquicas “atrás de lugares”, mas para trabalhar por Guimarães. "Estou convencido que vai correr bem e as pessoas vão ver que o Chega não é o partido que às vezes dizem, é um partido muito sério, com vontade de trabalhar, por Portugal, por Guimarães. Não andamos atrás de lugares, estamos apenas com vontade de trabalhar, pela positiva, pela nossa terra", afirmou Ângelo Freitas.

O responsável admitiu, porém, que o número de candidaturas às Juntas de Freguesia ficou “aquém” das expetativas; o Chega tem candidaturas a Creixomi, Azurém, Ronfe, Caldelas, à União de Freguesias de São Lourenço de Selho e Gominhães, bem como à União de Freguesias de Figueiredo, Leitões e Oleiros.

 

PAN quer representação na Assembleia… e possivelmente no executivo

Com Rui Rocha já oficializado como candidato à presidência da Câmara, o Pessoas Animais Natureza (PAN) entregou as listas para as Autárquicas em tribunal, e a mandatária da candidatura, Ana Paula Monteiro, salientou as “altas expetativas” da força política em “eleger alguém para a Assembleia Municipal”. Mesmo a presença no executivo municipal é uma ambição, disse.

Ana Paula Monteiro reconheceu ainda que o PAN “não tem a estrutura necessária” para apresentar candidaturas às Juntas de Freguesia.

 

 

IL quer deputados na Assembleia Municipal

A Iniciativa Liberal (IL) aproveitou também o dia da entrega das listas para apresentar oficialmente as candidaturas de Gil Leitão à presidência da Câmara e de Pedro Teixeira Santos à Assembleia Municipal. Numa cerimónia decorrida esta sexta-feira à noite na Penha, Pedro Teixeira Santos realçou o objetivo de se abrir um “novo ciclo” na política vimaranense, definido como objetivo a presença de deputados liberais no órgão deliberativo municipal.

O responsável vincou ainda que a candidatura é “sinónimo de esperança” nos jovens, que podem “ajudar o município a atingir patamares que, neste momento, parecem inatingíveis”. Já Gil Leitão referiu que Guimarães “estagnou no tempo”, devendo começar a assumir-se como referência para os estudantes universitários e para as empresas que se queiram estabelecer em território nacional. A atração da talento só se faz com a captação de investimento, disse.

Presente na cerimónia, o líder nacional da IL, João Cotrim de Figueiredo, enalteceu a “energia jovem” que se vê na candidatura e defendeu que territórios “mais liberais” tendem a acolher cidadãos “mais felizes” e a ter “mais prosperidade económica”.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73