skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
18 abril 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Guarda-rios contabilizaram mais de 200 ocorrências no último ano e meio

Redação
Ambiente \ quinta-feira, janeiro 26, 2023
© Direitos reservados
Identificadas ao abrigo de um projeto que reúne quatro profissionais, essas situações respeitam a “indícios de contaminação”, locais a necessitar de limpeza ou ligações ilegais de saneamento.

Lançado em julho de 2021 pela empresa municipal Vitrus, o projeto dos guarda-rios contabilizou 212 ocorrências no último ano e meio, desde casos com “indícios de contaminação” à identificação de comportamentos inadequados, informou a empresa municipal, em comunicado emitido nesta quarta-feira.

Mais de 50% das ocorrências – 125, concretamente – provêm de “afluentes com indícios de contaminação, ou seja, descargas que aconteceram no momento do reporte (ações reativas)” e de “caixas a necessitarem de intervenção ou limpeza (ação preventiva)”. A equipa identificou ainda 57 casos de “locais a necessitar de limpeza e recolha de resíduos (derivada de deposições ilegais, árvores caídas)”, 21 “alegadas ligações ilegais de saneamento” e nove situações de “comportamentos inadequados” ou de inundações e outros acidentes.

 

Equipa passa de dois a quatro profissionais

Criado para recuperar uma profissão que existiu em Portugal entre o século XVIII e o século XX e para promover “comportamentos sustentáveis” face à “crescente preocupação com as alterações climáticas”, justifica a Vitrus, o projeto arrancou com dois homens e foi reforçado com duas mulheres, Raquel Costa e Mónica Azevedo.

Incumbida de proteger os cursos de água do concelho de Guimarães e de sensibilizar as pessoas para a proteção dos recursos e para a correção de eventuais “comportamentos inadequados”, Raquel Costa deu conta, aos meios da Vitrus, que os cidadãos têm colaborado na denúncia de “situações a fiscalizar”. Já Mónica Azevedo realçou que as mulheres têm “capacidade de desempenhar as funções que até aqui eram habitualmente ocupadas por homens, mas sem qualquer sinal de discriminação”. “Fomos muito bem recebidas e estamos a ter o apoio de todos”, acrescentou.

Já o presidente do conselho de administração da Vitrus, Sérgio Castro Rocha, destacou o “trabalho de proximidade com os cidadãos”. “Todos os dias estão no terreno e só assim é possível contribuir para melhorar ou prevenir as nossas linhas de água, que atravessam o concelho, através do rio Ave, rio Selho, rio Vizela e assim como os respetivos afluentes. Este projeto tem sido um sucesso, daí já ser replicado noutros concelhos”, defendeu o também presidente da Junta de Freguesia de Ponte.

O administrador executivo da Vitrus, João Pedro Castro, frisou, por seu turno, que a empresa está a “criar um ambiente de igualdade” ao acolher duas profissionais que “completaram uma formação específica na área da fiscalização e qualidade da água”.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: