skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
24 junho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Moreirense passa de morno a quente no final, mas reação esbarra na trave

Redação
Desporto \ domingo, fevereiro 04, 2024
© Direitos reservados
Após 70 minutos de monotonia, salpicados com uma mão cheia de ocasiões, o ataque cónego ganhou força e ímpeto na fase final e teve olhos para a baliza de Matheus, mas a trave impediu o empate.

O Moreirense FC foi seguro em muitos momentos, criterioso noutros e agressivo em vários duelos a meio-campo ao longo do desafio, mas precisou dos 20 minutos finais para combinar esses ingredientes, ganhar ascendente e fazer pender a balança rumo à baliza do Sporting de Braga.

É desse período que se contam os melhores momentos cónegos num desafio quase sempre morno: o lance individual de Alanzinho ao qual só faltou o remate, o remate de longe para defesa apertada de Matheus, também desferido por Alanzinho, e o pontapé acrobático de Madson Monteiro, naquele que bem poderia ser o momento da noite, não fosse a trave a interpor-se caprichosamente na rota daquela bola em arco.

Aquele lance parecia selar o destino de uma equipa que esteve sempre em jogo, mas nunca pareceu na iminência de tirar algo dele. Correr atrás do prejuízo foi o paradigma que regeu a performance do Moreirense. Ao minuto oito, já o marcador funcionava a favor dos arsenalistas, por sinal pela única vez: em resposta a um cruzamento de Zalazar, o melhor jogador em campo, Abel Ruiz apareceu ao primeiro poste e, com uma finalização subtil, colocou a bola junto ao poste mais distante de Kewin Silva.

A partir daí, viu-se muita bola a rolar no meio-campo, erros na construção ofensiva, sempre a um ritmo monótono, o que facilitava a gestão do desafio por parte de quem estava na frente. A partida só se agitava quando Zalazar chamava a si o protagonismo: é do seu pé esquerdo que nasce o outro remate perigoso na primeira parte, por exemplo. Essa preponderância do médio uruguaio viu-se de novo na segunda parte, no lance mais perigoso dos bracarenses, aos 59 minuto, e noutro remate por cima, aos 76, já numa fase em que o Moreirense congeminava a reação decisiva, embora sem resultados.

O Moreirense terminou uma noite sem golos com os mesmos 32 pontos com que partiu para a 20.ª jornada da Liga Portugal Betclic e mantém o sexto lugar, com uma distância equidistante de sete pontos para quem está logo acima, o Vitória, e para quem está logo abaixo, o Arouca.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73