skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
19 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Câmara Municipal: saldo positivo e mais receitas com impostos em 2021

Tiago Mendes Dias
Política \ quinta-feira, maio 26, 2022
© Direitos reservados
Autarquia encerrou ano com resultado positivo de 1,53 milhões de euros. Teatro Jordão e Garagem Avenida foi o maior investimento num ano em que os impostos valeram 41,5 milhões, mais 5,2% face a 2020.

O verde é uma das cores que distingue a bandeira oficial de Guimarães e também aquela que melhor retrata as contas da Câmara Municipal em 2021. Com saúde financeira em quase todos os indicadores, a autarquia encerrou o ano com um resultado líquido positivo de 1,53 milhões de euros.

Embora inferior ao de 2020 (4,08 milhões), o valor é a conclusão de um exercício com receitas de 98,44 milhões de euros - mais 12,4% face a 2020 – e gastos de 80,52 milhões – também subiram, 18,6%. Mais de 80% dos proveitos advêm das transferências e subsídios (40,97 milhões) e dos impostos e taxas, o valor mais alto dos últimos cinco anos (41,51 milhões), que se desdobra pelo IMI (44,7%), pelo IMT (22,9%), pela derrama (11,9%), pelo Imposto Único de Circulação (9,4%), sem esquecer as multas e outras penalizações (11,8%). O vincado aumento de receitas com o IMT mostrou-se crucial para os 5,2% de impostos cobrados a mais face a 2020.

 

 

Quanto aos custos, alocaram-se, na maior parte, a transferências e a subsídios (23,96 milhões), bem como ao quadro de 1.584 trabalhadores. Os gastos com pessoal subiram dos 27,55, em 2020, para os 28,65 milhões de euros, em 2021. Quando se segmentam os gastos por função, verifica-se que a área social é aquela que capta mais recursos do município: 67,16 milhões, dedicados sobretudo à habitação (27,93 milhões) e à educação (18,25). O equipamento que mais investimento mereceu foi o do Teatro Jordão e Garagem Avenida (16,4 milhões).

Quanto à situação patrimonial, o capital próprio diminuiu, mas, a 31 de dezembro de 2021, era, ainda assim, de 463,18 milhões; o ativo, rubrica agregadora de todos os bens e direitos do município, era de 509,86 milhões, enquanto o passivo, conjunto das obrigações e dívidas, se ficava pelos 46,68 milhões.

Quando se examina a situação financeira de curto prazo (até 12 meses), a Câmara apresenta um fundo de maneio de quase 50 milhões, correspondente à diferença entre ativo e passivo correntes.  

 

 

Números

 

255

Milhões de euros é o valor do património detido pela autarquia, que congrega imóveis e restantes bens.

 

26,3

O valor da dívida municipal em 2021, em milhões de euros. Traduz uma quebra de 17,3% face a 2020 e corresponde a 56,4% do passivo da Câmara em 2021.

 

64

A subida percentual da receita com o Imposto Municipal sobre Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT); subiu dos 5,79 para os 9,52 milhões entre 2020 e 2021.

 

28,65

Os gastos com pessoal da Câmara em milhões de euros; cresceram 4% face a 2020. O número de trabalhadores também aumentou, fixando-se nos 1.584.

 

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73