skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
15 abril 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Câmara vota geminação com município brasileiro de Chapada dos Guimarães

Redação
Política \ terça-feira, fevereiro 13, 2024
© Direitos reservados
Após três anos de atividades culturais, educativas e ambientais em comum, duas com a chancela do Laboratório da Paisagem, é proposta a geminação. A confirmar-se, será a 14.ª a partir de Guimarães.

Ligados ao abrigo de uma Carta de Amizade e Cooperação desde 24 de junho de 2021, os municípios de Guimarães e de Chapada de Guimarães, no coração do território brasileiro, estão agora prontos a avançar para a geminação. Na reunião da próxima quinta-feira, o executivo municipal vimaranense vai discutir e votar esse acordo para o levar à Assembleia Municipal. “Proponho que a Câmara Municipal aprove (…) submeter à Assembleia Municipal proposta para autorizar a geminação do Município de Guimarães com a cidade de Chapada dos Guimarães no Brasil”, lê-se na agenda da reunião quinzenal.

Uma das justificações para a proposta deriva das atividades educativas, culturais e ambientais em comum, destacando-se, nesse campo, o trabalho do Laboratório da Paisagem: os projetos “O Ave para todos” ou “Eco parlamento” foram transpostos e adaptados para o município do estado de Mato Grosso, com formação e acompanhamento do Laboratório da Paisagem, em articulação com a Divisão de Educação da Câmara Municipal de Guimarães.

A autarquia vimaranense enaltece igualmente as atividades culturais oriundas de Chapada dos Guimarães que a cidade-berço acolheu, realçando, na proposta, a “importância da lusofonia e a necessidade de estreitar relações entre cidades e países que falam a mesma língua”. A partilha de “toponímias históricas ancestrais” face à influência de Guimarães na adoção do atual nome da cidade brasileira é outra das razões mencionadas: entre 1769 e 1772, Luís Pinto de Sousa Coutinho, governador do estado de Mato Grosso e marido da poetisa vimaranense Catarina Lencastre, mudou o nome de Santana de Chapada para Chapada dos Guimarães, não havendo consenso quanto à razão.

A proposta informa ainda que a geminação pretende reforçar “os laços tradicionais de amizade” entre os dois municípios e “as suas aspirações a trabalhar em conjunto para o benefício das suas cidades e nações”, indo ao encontro do “interesse manifestado por entidades nacionais de Portugal e do Brasil”.

 

Terra conhecida pelo seu parque nacional

Integrada na Região Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá, em que Cuiabá é precisamente a maior cidade, Chapada dos Guimarães é um município com 19.453 habitantes numa área de 6.250 quilómetros quadrados – uma dimensão quase 26 vezes superior à de Guimarães. Esse território distingue-se pelo Parque Nacional de Chapada dos Guimarães, 33 mil hectares revestidos pelo cerrado brasileiro, com lagoas, cavernas e a Cachoeira Véu, uma queda de água, que é o seu local mais conhecido.

A confirmar-se, esse será o 14.º acordo de geminação a partir do território vimaranense, o terceiro com municípios brasileiros, após Londrina e Rio de Janeiro. O mais populoso município do Vale do Ave está ainda geminado com quatro cidades francesas – Brive-la-Gaillarde, Compiègne, Dijon e Montluçon -, com duas espanholas – Igualada e Tacoronte -, e ainda Mé-Zochi (São Tomé e Príncipe), Ribeira Grande (Cabo Verde), Colónia de Sacramento (Uruguai) e Kaiserslautern (Alemanha). A vila de Caldas das Taipas está geminada com a localidade francesa de Saint-Michel-sur-Orge.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: