skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
22 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Capital Verde Europeia: “Devemos fazer o caminho sem haver uma quebra”

Bruno José Ferreira
Ambiente \ quinta-feira, dezembro 14, 2023
© Direitos reservados
Oposição questiona decisão “por impulso” de concorrer de imediato a nova candidatura a Capital Verde Europeia. “Estamos seguros que este é o caminho, sem quebras”, acredita o município.

Guimarães vai apresentar nova candidatura a Capital Verde Europeia, neste caso para o ano 2026, até 30 de abril do próximo ano. O anúncio foi feito ainda em Tallinn, capital da Estónia e cidade que no próximo ano terá o galardão de Capital Verde. O desafio de submeter Guimarães a nova candidatura foi lançado a Isabel Loureiro, coordenadora executiva da Estrutura de Missão Guimarães 2030, ainda na Estónia, e esta quinta-feira foram dadas a conhecer algumas premissas de nova candidatura vimaranense. 

Na reunião de câmara Isabel Loureiro sustentou que a equipa envolvida na candidatura fez “um exercício complexo de análise”, para dessa forma avaliar os pontos menos fortes da candidatura anterior e, dessa forma, ter instrumentos para nova corrida. “Muita coisa aconteceu em 2023”, pelo que a candidatura não será um copy-paste, disse.

Adelina Pinto, vice-presidente do município que encabeçou a candidatura vimaranense, prometeu “muitos novos dados” no documento que irá a concurso em 2024, sustentando que “do que vemos na nossa avaliação descritiva temos imensos pontos fortes, mas não chegou”.

Do lado da oposição, Ricardo Araújo reforçou a ideia de que Guimarães deve ter o desígnio ambiental e aspirar ser Capital Verde Europeia, mas “não por impulso”. “Deve ser ponderado quando é que vamos estar em condições de atingir este objetivo. A decisão não pode ser por impulso; não podemos candidatar-nos todos os anos até que um dia Guimarães possa ganhar”, esclareceu.

Em resposta, Adelina Pinto vincou que “é óbvio que a equipa esteve a ver tudo ao pormenor tudo”. “Em Tallinn todos os elementos do júri disseram para concorrermos novamente”. A vereadora explicou que várias vicissitudes têm implicações, como a dimensão das cidades candidatas, reforçando que “queremos mostrar à Europa que uma cidade pequena pode ser verde e pode ser inspiradora para a Europa”.

Já no final da reunião Adelina Pinto disse ser convicção do município a certeza de que este é o caminho a seguir. “Achamos que este é o caminho a seguir, sem quebras. Estamos seguros que este é oc aminho e vamos prosseguir o trabalho nesse sentido”.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73