skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
27 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

CCVF sai da casca: coreografia de Jonas & Lander abre 18.º aniversário

Tiago Mendes Dias
Cultura \ sexta-feira, setembro 15, 2023
© Direitos reservados
Mais de uma dezena de pessoas da comunidade junta-se à dupla de coreógrafos nesta sexta-feira à noite, num programa que inclui ainda Gabriel Prokofiev, Pedro Mafama e, para a semana, SillySeason.

Habituados a apresentarem a peça com que se estrearam na dança contemporânea – “Cascas d’OvO”, em 2013 -, Jonas & Lander apresentam-na de novo em Guimarães, na abertura do 18.º aniversário do Centro Cultural Vila Flor (CCVF), abrindo a porta a elementos da comunidade: 17 pessoas trabalharam com a dupla na reposição dessa obra distinguida como Priority Company 2014 pela rede europeia Aerowaves e vão ser parte do espetáculo no seu final, quando ele se abre a “um mundo com os seus quotidianos”.

“O trabalho com a comunidade correu muito bem. Foi maravilhoso. As pessoas tiveram muita disponibilidade mental e física. Alinharam nesta loucura”, refere Lander Patrick, criador e intérprete da peça. “Elas entram na parte final da peça. O final tem essa abertura para o mundo com os seus quotidianos. O mundo invade o palco, e essas pessoas tornam isso possível”.

Jonas & Lander vão apresentar uma obra que explora novas dimensões de diálogo e repensa relações sociais e partir de uma comunicação imersa no silencia, onde sobressaem os movimentos do corpo, e que esteve recentemente no Porto. No verão, foi também apresentada em Itália, no âmbito dos 10 anos da dupla. Por isso, o espetáculo agendado para as 21h30 desta sexta-feira, no Pequeno Auditório do CCVF, é uma “dupla celebração”, vinca Lander. Para o coreógrafo, é “uma feliz coincidência” fazê-lo num espaço que lançou várias das obras da dupla – “Matilda Carlota” (2014), Adorabilis (2017), Lento e Largo (2019) e Bate-Fado (2020).

Grato pelos 10 anos de colaboração com Jonas Lopes, Lander antevê criações com “muita atenção à música” na próxima década, até pelo lançamento do novo álbum de Jonas, agendado para janeiro de 2024. “É quase uma dimensão nova de cooperação. O Jonas está a lançar o novo álbum, em janeiro. Estou a ajudar no processo de um espetáculo que recupere o fado batido. Essa é a missão do Bate-Fado. Está a ser muito entusiasmante”, frisa.

 

Gabriel Prokofiev atua em Guimarães no sábado à noite

Gabriel Prokofiev atua em Guimarães no sábado à noite

 

Da orquestra eletrónica às raízes da música popular

No dia 16, a partir das 21h30, no Grande Auditório Francisca Abreu, a Orquestra de Guimarães apresenta-se sob direção de Gabriel Prokofiev, neto de Sergei Prokofiev, reconhecido compositor russo do século XX. A partir do seu repertório, onde cruza o domínio da linguagem clássica com eletrónica, turntablism e outras estéticas, o compositor russo-britânico promete “desafiar as convenções e demonstrar como as suas obras são um território híbrido e fascinante, na exploração das várias possibilidades da arte”, em parceria com o DJ Mr Switch.

No domingo, a partir das 18h00, os jardins do CCVF recebem Pedro Mafama, intérprete de “Preço Certo”, “Estrada” ou “Marcha Bonita”, a partir das 18h00. Até agora com dois álbuns publicados – “Por este rio abaixo” (2021) e “Estava no abismo mais dei um passo em frente” (2023) -, o músico promete apresentar ao vivo “o resultado de anos de estudo da música popular portuguesa”, após se debruçar sobre os bailes, as marchas e as rumbas portuguesas, influenciado pela música que encontrou nos bairros de Lisboa.

A comemoração do aniversário encerra em 23 de setembro, com a estreia absoluta de “Palco Principal”, peça de teatro dos Sillyseason. Depois de passagens pelos Festivais Gil Vicente, o coletivo formado por Cátia Tomé, Ivo Saraiva e Silva e Ricardo Teixeira volta a Guimarães inspirado pelo universo de Anton Chekhov e de “A gaivota” (1896), uma das mais reconhecidas obras do dramaturgo russo, pioneiro do modernismo no teatro.

O bilhete geral para os quatro espetáculos de aniversário do CCVF custa 18 euros, estando à venda a partir desta semana nos espaços físicos da cooperativa A Oficina e no portal Bilheteira Online. Os bilhetes têm igualmente um custo unitário de 10 euros ou 7,50 com desconto. O concerto de Pedro Mafama, nos jardins, é gratuito.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73