skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
20 junho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

CDU diz que sistema de entrada no centro histórico tem causado acidentes

Pedro C. Esteves
Política \ sábado, maio 01, 2021
© Direitos reservados
Em causa estão os pilaretes que condicionam os acessos e estão a provocar, segundo Mariana Silva, "prejuízos nas viaturas" e a "pôr a vida das pessoas de pernas para o ar."

A CDU questionou a Câmara Municipal de Guimarães (CMG) acerca de “várias queixas” que têm chegado ao partido devido ao sistema de entrada no centro histórico. Na Assembleia Municipal da passada sexta-feira, a deputada da bancada da coligação, Mariana Silva, fez saber que há munícipes que relataram “diversos acidentes que causam prejuízos nas viaturas”. “Qual o problema, existe alguma dificuldade com a sinalética?”, questionou.

Em causa estão os pilaretes que visam controlar o acesso ao centro histórico da cidade. “O sistema de entrada no centro histórico – e já teve vários planos –, ao que sabemos, põe a vida das pessoas de pernas para o ar, causa despesas gravíssimas que as pessoas passam a ter no dia a dia, quando algumas delas tinham todo o direito de entrar no centro histórico”, reiterou a também candidata pela CDU à CMG.

Na intervenção em que questionou Domingos Bragança, Mariana Silva falou ainda em “arrogância institucional” por parte da instituição para com os lesados nas respostas às queixas que têm existido.

O direito de acesso à zona condicionada – que apenas é permitido a determinado tipo de utilizadores “e cujo controlo é exercido através de sinalização, eventualmente complementado por meios mecânicos e ou eletrónicos”, lê-se no regulamento de acesso à zona intramuros do centro histórico de Guimarães – constitui-se mediante autorização. O regulamento estabelece três “portas” de entrada: a da câmara (Rua Condestável Nuno Álvares / Rua de Santa Maria); a de Santa Luzia (Rua de Val de Donas, a partir do Largo Navarros de Andrade); e Porta Nova (Largo António Leite de Carvalho, a partir do Largo do Toural).

O presidente da CMG, Domingos Bragança, em resposta à interpelação de Mariana Silva, referiu que está a tentar “encontrar uma nova solução”, já que “os pilaretes causam muitos acidentes”. "De facto, as pessoas que têm esses acidentes são obrigadas a pagar do próprio bolso", reconheceu. Na mesma intervenção, o autarca referiu que os que estão junto ao edifício da câmara municipal já não estão a funcionar. 

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73