skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
14 junho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

CDU pede sinais, semáforos e passadeiras iluminadas em reta de Brito

Redação
Política \ terça-feira, outubro 25, 2022
© Direitos reservados
Comitiva visitou a vila vimaranense e apontou o dedo ao plano da câmara na mobilidade. CDU diz que via não é segura para pessoas com mobilidade reduzida e para automobilistas devido ao asfalto.

Uma comitiva da CDU - PCP/PEV visitou a Rua São João Batista, em Brito, para acenar com "diversos problemas de mobilidade" naquele arruamento e no espaço desde a igreja até à conhecida reta da "Chá". "É o reflexo da falta de planeamento na área da mobilidade, que impede sobretudo que as pessoas circulem a pé em segurança", diz o partido.

"Na reta da “Chá” as árvores não se encontram devidamente podadas, o que acontece há muitos anos, tapando a sinalização de trânsito, e as raízes levantaram o asfalto tornando a circulação de automóveis perigosa", explica, em comunicado, a coligação que junta ecologistas e comunistas.

Na visita de Torcato Ribeiro, com assento na Assembleia Municipal de Guimarães, e Susana Meira, eleita para a Assembleia de Freguesia, constatou-se a existência de vias que não são indicadas "para pessoas com mobilidade reduzida ou para a circulação de carrinhos de bebé". "As passadeiras para peões não estão devidamente sinalizadas, nem se encontra uma perto da paragem de autocarro, as bermas não são limpas pelas entidades competentes, o que dificulta a pedonalização em segurança, não existem nem passeios nem bermas acessíveis", refere o partido.

"Mas nada foi feito", frisa o partido, que aponta o dedo "ao discurso do executivo PS na Câmara Municipal". "A CDU insiste em que, nesta via é possível tornar os sinais de trânsito mais visíveis, colocar semáforos de controle de velocidade e iluminar as passadeiras para peões e, nesse sentido, questionará, novamente, a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal".

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73