skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
29 junho 2022
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Centro académico do hospital é o primeiro do SNS a ser certificado

Redação
Saúde \ terça-feira, maio 17, 2022
© Direitos reservados
Uma das unidades com mais investigação no país, Hospital Senhora da Oliveira frisa que a distinção premeia “qualidade e excelência dos serviços prestados”. Certificação oficializada a 26 de maio.

A organização e a gestão das atividades de Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDI) do Centro Académico e de Formação (CAF) do Hospital Senhora da Oliveira (HSO) estão agora “totalmente certificadas”, no âmbito total “da Norma Portuguesa 4457:2007, que estabelece a estrutura de qualidade em investigação clínica, capacitação, bem como Inovação & Desenvolvimento (I&D)”.

É o primeiro centro clínico afiliado ao Serviço Nacional de Saúde a consegui-lo em Portugal, reitera a unidade de saúde, em comunicado. “A concessão desta certificação a este serviço do HSO vem reconhecer a qualidade e excelência dos serviços prestados pelo CAF, no âmbito da investigação, ensino e formação”, lê-se.

Esta certificação, que será oficializada a 26 de maio, numa cerimónia marcada para as 09h30, abarca projetos de investigação clínica, a formação contínua de recursos humanos e a partilha de conhecimento com o “ecossistema académico/universitário, científico e produtivo no domínio da saúde”.

A distinção surge depois de, em novembro de 2021, o HSO ter sido “premiado pela Agência de Investigação Clínica e Inovação Biomédica” no âmbito do Concurso de Projetos de Capacitação dos Centros de Investigação Clínica, ao apresentar um projeto para um hospital de dia que garanta a investigação clínica, com “um ambiente seguro e de conforto para os utentes envolvidos nesses protocolos” e uma organização que torne o CAF mais “competitivo e atrativo” para “estudos nacionais e internacionais”, com “ensaios clínicos em fases mais precoces”.

Em março de 2022, o HSO foi considerado um dos 10 hospitais do país com mais investigação clínica, condição que lhe valeu a entrada para a Rede Portuguesa de Infraestruturas para a Investigação Clínica. Segundo esses dados, da Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência, o hospital vimaranense surgiu entre as 10 instituições com mais despesa em I&D, tendo sido a oitava nas despesas em ciências da saúde, a nona na medicina básica, além de ter quadruplicado os estudos clínicos – em novembro de 2021, conduzia 135 ensaios clínicos.

 

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: Guimarães em Debate #32