skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
21 outubro 2021
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Centro de investigação em Azurém em projeto sustentável de carne e frutas

Redação
Ciência & Tecnologia \ quarta-feira, outubro 13, 2021
© Direitos reservados
O BBTWINS vai atuar em produções na Espanha e na Grécia, visando “aumentar a eficiência” e “reduzir o desperdício”. Centro para a Valorização de Resíduos é uma das 13 entidades europeias envolvidas.

Localizado no campus de Azurém da Universidade do Minho (UMinho), o Centro para a Valorização de Resíduos (CVR) é uma das 13 entidades de sete países incluídas no BBTWINS, projeto que visa “aumentar a eficiência dos recursos” e “reduzir o desperdício” na produção de carne de porco e de pêssego na Espanha e na Grécia, seguindo a estratégia farm to fork – da quinta para o garfo -, recomendada pelo Pacto Ecológico Europeu.

De forma a implementar uma “abordagem de biorrefinaria de resíduo zero”, o consórcio liderado pelo CTIC-CITA, entidade espanhola para a investigação no setor agroalimentar, vai servir-se da tecnologia digital twins – cria representações virtuais em tempo real dos objetos ou processos em estudo, neste caso as “cadeias de valor agrícola”.

O investigador André Ribeiro realça, no comunicado emitido pelo CVR, que a “abordagem de biorrefinaria de resíduo zero em setores tradicionais, como a produção de carne de porco e de pêssego, será um grande passo em direção à sua sustentabilidade económica, social e ambiental”.

Com um prazo de execução de quatro anos – 2021 até 2025 -, o BBTWINS vai integrar na plataforma digital twins processos de inteligência artificial, de Internet of Things – controlo remoto de objetos e articulação entre eles a partir da Internet -, e de blockchain – armazenamento descentralizado de dados com recurso à criptografia -, bem como “soluções logísticas estratégicas” para promover uma maior eficiência na produção agrícola e na pecuária.

Até 2050, estima-se uma subida da população mundial para 10 mil milhões de pessoas. Assim, a eficiência do setor deve aumentar 40% para satisfazer a procura, ao mesmo tempo que diminui a sua pegada alimentar, lê-se no comunicado; em 2018, o setor foi responsável pela emissão de 9,3 mil milhões de toneladas de gases de efeito de estufa equivalentes ao dióxido de carbono.

 

Centro para a Valorização de Resíduos, em Azurém

Centro para a Valorização de Resíduos, em Azurém

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #13