skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
03 dezembro 2022
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Aberto desde 1967, posto de combustível do Salgueiral é Interesse Público

Redação
Cultura \ terça-feira, novembro 22, 2022
© Direitos reservados
Proposta apresentada pela Direção-Geral do Património Cultural em abril foi aprovada. Fernando Távora volta a ter obra classificada em Guimarães, depois do centro histórico e da Casa da Covilhã.

O posto de combustível duplo que se vê nas imediações do nó do Castanheiro, na fronteira entre Creixomil e Urgezes, é agora Monumento de Interesse Público. “É classificado como monumento de interesse público (MIP) o Posto Duplo de Abastecimento de Combustíveis de Covas, no lugar do Salgueiral, freguesias de Creixomil e Urgezes, concelho de Guimarães, distrito de Braga”, anuncia a portaria n.º 814/2022, assinada pela secretária de Estado da Cultura, Isabel Cordeiro, e publicada esta terça-feira em Diário da República.

Na sequência da proposta apresentada pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), em abril último, a tutela justifica a distinção com o “valor estético, técnico e material intrínseco” do posto de combustível, a “conceção arquitetónica, urbanística e paisagística” e as “circunstâncias suscetíveis de acarretarem diminuição ou perda da sua perenidade ou integridade”, enaltecendo o “potencial cenográfico” de uma área de serviço que aproveita o declive do terreno e os “arranjos exteriores”, que constituem “um todo indissociável dos edifícios, sendo indispensáveis para a interpretação do conjunto”.

Apesar de “parcialmente adulterado por intervenções posteriores”, o edificado não perdeu a “capacidade evocativa do projeto original, onde o granito local, o betão e o ferro se conjugam com a envolvente natural para compor uma obra de grande valor formal e conceptual”, “ilustrativa” do posicionamento de Fernando Távora em relação “aos desafios colocados pela arquitetura moderna”.

Antes da proposta formal da DGPC, a Fundação Marques da Silva entregou uma proposta de classificação em 05 de janeiro de 2014, e o procedimento para a classificação iniciou-se em março de 2015.

Com raízes familiares em Guimarães, Fernando Távora (1923-2005), um dos nomes mais reconhecidos da Escola do Porto, conduziu a requalificação do centro histórico, classificado como Património Mundial da UNESCO em 2001, e foi responsável pelo projeto da quinta e casa da Covilhã, conjunto situado em Fermentões, que é também Monumento de Interesse Público.

 

Exemplar de um plano de bombas de combustível para o Norte

O equipamento à margem da Estrada Nacional 105, na designada de Rodovia de Covas, é fruto de uma “proposta de localização de postos de abastecimento na cidade do Porto”, desenvolvida por Távora para a SACOR, em 1957, antes de se delinearem mais 29 postos de abastecimento para a região a norte do Douro.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #38