skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
03 dezembro 2022
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Contextile 2022 relembra a CEC: primeira chamada para artistas

Redação
Cultura \ quinta-feira, setembro 16, 2021
© Direitos reservados
Convidado do Gana, espaço para artistas portugueses e presença da Noruega. A Contextile 2022 terá o dez como signo e está aberta a novos artistas.

Dentro de um ano estará a decorrer a 6.ª edição da Contextile, a Bienal de Arte Têxtil Contemporânea de Guimarães. Num momento especial, no qual se assinalam dez anos de existência deste evento e, ao mesmo tempo, dez anos de celebração de Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura, que projetou esta bienal, a primeira chamada para artistas está em marcha.

Todos os artistas, nacionais e internacionais, são convidados a apresentar trabalhos para integrar a Exposição Internacional integrada no programa daContextile 2022, que decorre entre 3 de setembro e 30 de outubro do próximo ano,

Esta Open Call terá um júri internacional composto por Lala de Dios (curadora e professora de têxtil), Janis Jefferies (professora de artes visuais e curadora), Monika Grasiené-Zaltê (artista têxtil e curadora), Orenzio Santi (professor e artista têxtil) e Cláudia Melo (diretora artística da Contextile 2022). Serão selecionadas cinquenta obras de cinquenta artistas, assim como duas obras para implementação em espaço exterior.  

O referido júri atribuirá também um Prémio de Aquisição no valor de 6 mil euros, da mesma forma que concederá as Menções Honrosas. Das 50 obras da Exposição Internacional poderão ser também selecionadas obras para prémio de Aquisição ATP e prémio de Aquisição ASM, ambos no valor de 2500 euros.

Uma vez mais a Contextile é organizada com o apoio da Câmara Municipal de Guimarães da Direção-Geral das Artes e da indústria têxtil. “A crescente adesão da comunidade artística nacional e internacional projeta esta Bienal de Arte Têxtil Contemporânea como uma nova centralidade do que de melhor se faz na arte têxtil à escala global e um lugar de encontro e debate em torno da arte têxtil contemporânea”, dá conta a organização.

Ibrahim Mahama é artista convidado, mas há espaço para dez artistas portugueses

Nesta edição da Contextile um dos principais rostos é o ganês Ibrahim Mahama. O artista apresentará uma intervenção artística em espaço público, sendo que a sua conceção será realizada de acordo com o contexto da Bienal de Arte Têxtil Contemporânea de Guimarães.

Há ainda espaço para uma exposição denominada “10 Artistas, na Arte Têxtil”, na qual é dado palco a dez artistas portugueses, especialmente com incidência a partir das décadas de sessenta e setenta

O programa é completo com Residências Artísticas, ”Emergências” - Ensino Artístico e Criação Têxtil, Intervenções / Performances no espaço público, Textile Talks – ‘arte’ e ‘arte & educação’ e Serviço Educativo completam a Contextile, que nesta edição tem como país convidado a Noruega, em parceria com o Coletivo NTK – Norwegian Textile Art Association. Neste âmbito serão expostas obras de dez artistas noruegueses.

Artigos relacionados

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #38