skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
18 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Dois livros de estúdio de design vimaranense premiados em Nova Iorque

Redação
Cultura \ domingo, agosto 01, 2021
© Direitos reservados
No ativo desde 2011, a OOF Design esteve a cargo do grafismo de “Lagoas e Charcas do rio Ave” e da reedição de “Citânia e Sabroso”, duas obras premiadas na edição de 2022 dos prémios Graphis.

Os estilos de design escolhidos para “Lagoas e Charcas do rio Ave”, livro editado pelo Laboratório da Paisagem sobre a área ribeirinha da freguesia de Castelões, no extremo nordeste do concelho, e para “Citânia e Sabroso”, livro-guia de 1930 reeditado no ano passado pela Sociedade Martins Sarmento, valeram à OOF Design dois Silver Award nos prémios Graphis, atribuídos há dias em Nova Iorque.

O estúdio de design vimaranense foi galardoado na categoria “Design Annual”, responsável por premiar anualmente “trabalhos reveladores de especial talento na categoria de design de comunicação”. Os Graphis são atribuídos desde 1952, distinguindo os “melhores projetos de design, fotografia, ilustração e publicidade de todo o mundo”, lê-se nos comunicados enviados às redações.

A obra “Lagoas e Charcas do rio Ave” resume o projeto de investigação levado a cabo pelo Laboratório da Paisagem naquele lugar e, além de textos científicos, apresenta um guia de visita ao rio Ave e uma galeria de imagens de animais e plantas daquele habitat.

Já o livro sobre a Citânia de Briteiros e o Castro de Sabroso conta com novas fotografias, novos textos, assinados pelo arqueólogo Gonçalo Cruz, e com a modalidade bilingue – português e inglês.

Criada em 2011 por Cláudio Rodrigues, a OOF já trabalhou por exemplo para a Guimarães - Capital Europeia da Cultura, em 2012, e colabora com o projeto de missão de Braga a Capital Europeia da Cultura, em 2027. Também já efetuou projetos para entidades como a Oficina, o Theatro Circo e a Universidade do Minho.

 

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73