skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
01 dezembro 2021
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Domingos Bragança admite "insuficiência na resposta das creches"

Hugo Marcelo
Política \ quinta-feira, novembro 18, 2021
© Direitos reservados
Em reunião de câmara, a oposição voltou a abordar o tema das creches no concelho. Domingos Bragança destacou a "boa rede de IPSS existente" e manifestou a vontade em suprir a "insuficiência".

Na reunião de câmara desta quinta-feira, realizada no salão nobre de Santa Clara, as creches voltaram a ser um dos temas que foram abordados e discutidos durante a reunião. Bruno Fernandes, líder da Coligação Juntos por Guimarães, referiu que as creches são "uma das lacunas dos serviços do Estado" e que Guimarães "vive um flagelo ao nível das creches, porque não há resposta capaz de suprir as necessidades identificadas concelho". O líder da oposição salientou ainda que, os "jovens casais vivem esta problemática permanentemente, apesar do trabalho das IPSS do concelho, que é onde, de grosso modo, existe resposta. Isso responde a cerca de 50% das necessidades”, referiu.

“Estamos a voltar à base da pirâmide das necessidades. O município não pode estar apenas preocupado com grandes projetos, sem deixar de estar atento a questões de base. Daqui a uns tempos aparecem novos indicadores sobre população e Guimarães está a perder. Falta habitação, mas o problema dos berçários e das creches afeta os indicadores demográficos do concelho. Há jovens casais desesperados, porque não sabem onde deixar os seus filhos. Queremos que, num curto espaço de tempo, a Câmara tenha solução para isto”, referiu o autarca.

Bruno Fernandes disse ainda que a "Câmara Municipal é proprietária de escolas devolutas, que poderiam ser reconvertidas em creches" e que não tem dúvidas que no seu projeto, caso a Coligação Juntos por Guimarães liderasse o município o problema seria resolvido "entre três a seis meses".

Por sua vez, Domingos Bragança destacou a "boa rede de IPSS existentes em todo o concelho" que dão respostas em todas as áreas. "É necessário apoio. Quem não trata dos seus em situação de debilidade, não faz o que deveria. Queremos estar no topo dessa oferta. Guimarães abraça essa gratuitidade dentro do possível, mas é importante salientar que as cresce não são uma responsabilidade direta do município", disse", proferiu.

O presidente Domingos Bragança realçou ainda que Câmara Municipal de Guimarães está no "topo", no que diz respeito ao apoio direto às IPSS e manifestou também a sua vontade em suprir a insuficiência na resposta das cresces. "É bom ter em conta que a Câmara dá três a quatro milhões de apoio às IPSS. Podemos direcionar para as creches, mas é preciso apoio da ISS e da Educação. Não é só fazer a obra, é necessário manter o serviço. Posto isto, é preciso conjugar bem todas as coisas mas não há duvidas que é um objetivo central”, referiu.

Por fim, o líder dos socialistas afirmou que "as escolas devolutas foram sendo ocupadas por instituições sociais e culturais" e que a "resposta às creches não pode ser voluntarista". Domingos Bragança diz que a resposta deve ser profissional e competente. "Queremos voluntários, mas é bom que se entenda que as creches têm de ter uma estrutura técnica especializada para darem resposta às necessidades dos utentes. O conhecimento é fundamental na área social”, concluiu.

 

Pub

Artigos relacionados

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #16