skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
21 julho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Enquadramento de quem vive de trabalho temporário premiado no Shortcutz

Redação
Cultura \ quinta-feira, março 31, 2022
© Direitos reservados
Focada numa trabalhadora em situação vulnerável à procura de descontos no supermarcado, “The shift”, da realizadora Laura Carreira, foi considerada a melhor curta-metragem de 2021.

Rodada no Reino Unido, The shift retrata Anna, uma trabalhadora temporária que vagueia pela secção de produtos com desconto do supermercado, tentando encontrar os mais acessíveis, e foi considerada a melhor curta-metragem que, em 2021, passou pelo Shortcutz Guimarães, anunciou a organização esta quarta-feira, na sessão de entrega de prémios da mais recente temporada do microfestival.

Focado na condição vulnerável de um trabalhador temporário nas consequências imediatas da distância perigosamente curta e sempre presente que separa emprego e pobreza, segurança e tumulto, o filme de Laura Carreira recebeu três galardões, numa noite ainda marcada pelo início da celebração do 10.º aniversário de Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura.

A curta The Shift é a segunda obra da realizadora formada na Universidade de Edimburgo (Escócia), tendo estreado na secção Orizzonti do festival de Veneza, em 2020. Fez depois uma interessante carreira internacional em festivais, tendo sido premiado, por exemplo, no IndieLisboa (Prémio Novo Talento, 2021). Foi exibido no Shortcutz Guimarães em outubro último.

O júri do Shortcutz Guimarães 2021 incluiu a diretora do Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Marta Mestre, o fotógrafo José Caldeira, Nuno Rocha Vieira, em representação do Cineclube de Guimarães, bem como Luísa Alvão e Samuel Silva, em representação da organização do microfestival.

Ao todo, havia 14 filmes a concurso, competindo por cinco categorias. Outro filme que repetiu galardões na noite desta quarta-feira foi “Moço”. O júri atribuiu-lhe o prémio de Melhor Fotografia, pelo trabalho de Manuel Pinho Braga, tendo esta curta-metragem de Bernardo Lopes, recebido ainda o Prémio do Público.

Foi também premiada Denise Fernandes, que recebeu a distinção pelo argumento de “Nha Mila”. O júri atribui este ano, três menções especiais, a "O Chá da Tia Apolónia", da ainda estudante Maria Pereira, "Seja como for", filme de animação de Catarina Romano, e "Filomena”, de Pedro Cabeleira, pelo trabalho de som.

 

Já rodam as obras produzidas na CEC

A sessão de entrega dos prémios do Shortcutz Guimarães 2021 ficou ainda marcada pela exibição de duas curtas-metragens convidadas, “O Facínora”, de Paulo Abreu, e “Onde a Estrada Acaba”, de Andreia Ferreira, Luís Leite, Nídia Rainha e Rui Dias, duas obras produzidas pela Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura.

A organização do Shortcutz Guimarães começa, desta forma, a assinalar dez anos sobre o evento, que foi um marco na produção cinematográfica a partir de Guimarães, no âmbito do qual foram produzidas mais de 40 filmes. Na próxima sessão, a 27 de Abril, o convidado será o crítico João Lopes, responsável pela programação da área de cinema na Guimarães 2012.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73