skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
03 dezembro 2022
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Entre críticas ao estado dos bairros IHRU, luz verde para obra em Gondar

Tiago Mendes Dias
Sociedade \ quinta-feira, setembro 29, 2022
© Direitos reservados
Após a coligação JpG lamentar o perpetuar da degradação nos bairros sociais, a Câmara Municipal confirmou a requalificação dos sete blocos da Emboladoura vai avançar.

Através do vereador Hugo Ribeiro, a coligação Juntos por Guimarães (JpG) lamentou a falta de condições de habitabilidade com que se deparam os vimaranenses residentes nos cinco bairros do Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU) – Nossa Senhora da Conceição, São Gonçalo, Atouguia, Feijoeira e Emboladoura.

O social-democrata lamentou as infiltrações que afligem os moradores desse último bairro, em Gondar, e também o caso de “uma menina com Síndrome de Williams” – tem como sintomas várias malformações físicas por causa da inexistência de parte do cromossoma 7 -, que, em cadeira de rodas, se depara com um elevador avariado, faltando-lhe ajuda para descer ao rés-do-chão.

“O senhor presidente da Câmara costuma dizer que é maravilhoso viver em Guimarães. Não acho que seja maravilhoso viver na Emboladoura, Atouguia, São Gonçalo, Nossa Senhora da Conceição. Uma vez que a culpa cai sobre o IHRU, esta entidade sem rosto, a gestão socialista não tem a resolução destes problemas como prioridade”, disse, antes de referir que há 626 agregados familiares de Guimarães em condições precárias.

Hugo Ribeiro questionou ainda quanto do dinheiro destinado pela autarquia à habitação já foi investido, quantos casos já foram resolvidos e quando é que as obras começam.

Após a reunião do executivo municipal desta quinta-feira, a vereadora com o pelouro da Ação Social reconheceu que o processo de requalificação “já se iniciou há bastante tempo”, com a “propriedade mista das frações” a revelar-se “um dos entraves à requalificação destes bairros”. “Os proprietários foram todos incluídos na Estratégia Local de habitação, em diálogo contínuo com o IHRU e três associações de moradores”, esclareceu Paula Oliveira.

A vereadora referiu até que o município tem marcado presença nas várias assembleias de condóminos, também por incentivo da secretária de Estado, Marina Gonçalves, que já se deslocou a Guimarães pelo menos quatro vezes desde o início do seu mandato, para reuniões com associações de moradores.

Um dos objetivos já conseguidos é o da requalificação da Emboladoura. “Já deu inclusive entrada nos serviços da Câmara o pedido de ocupação de espaço público para estaleiro do próprio empreiteiro a quem foi adjudicada a obra. São sete blocos, e a obra custa entre seis e sete milhões de euros”, adiantou a responsável.

A atualização das rendas dos habitantes – há várias em atraso para com o IHRU, na sequência da controvérsia com aumentos de preço – é outro dos temas em discussão entre Câmara, secretaria de Estado e associações de moradores. “A secretária de Estado da Habitação está muito empenhada na resolução deste problema e num desfecho positivo”, esclareceu Paula Oliveira.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #38