skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
13 julho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Escola de ourivesaria: Câmara investe 3 milhões no Convento Santa Rosa Lima

Redação
Cultura \ quinta-feira, junho 27, 2024
© Direitos reservados
Centro de Formação Profissional da Indústria de Ourivesaria e Relojoaria prevê um investimento de sensivelmente 5 milhões de euros. Antigo convento será reabilitado e ampliado.

O executivo municipal vai deliberar na próxima segunda-feira em reunião de câmara a reabilitação do edifício do antigo Convento Santa Rosa Lima, nas Dominicas, para a instalação do polo de Guimarães do CINDOR – Centro de Formação Profissional da Indústria de Ourivesaria e Relojoaria.

Inicialmente previsto para se instalar em Ponte, este centro acabará por ficar na cidade, na zona recentemente classificada como Património Mundial pela UNESCO, num “imóvel de elevado valor patrimonial histórico, datado do século XVII”, segundo consta na proposta.

O referido imóvel, na Rua Dr. Bento Cardoso, diz respeito ao antigo Convento Santa Rosa Lima, com uma área total de 5046 m², sendo 442 m² de área coberta e 4604 m² de área descoberta. O município propõe a reabilitação e ampliação do edifício, para depois disponibilizar ao CINDOR num contrato de comodato válido para 50 anos, renovável por períodos de 10 anos.

“As obras de ampliação do edifício, numa área prevista de cerca de 1.100 m2, estão estimadas em €2 295 771,63; as de reabilitação em €2 636 677,20; os arranjos exteriores em €266 910,00. Para o projeto de arquitetura e especialidades e todos os trabalhos necessários à sua boa execução, nomeadamente o levantamento topográfico e levantamento geométrico, a prospeção geotécnica, assim como a revisão final do projeto, estima-se o valor de €169 900,00. O Município será responsável por financiar o valor do projeto de arquitetura e especialidades para a ampliação e reabilitação do edifício, bem como pelas respetivas obras de reabilitação e arranjos exteriores, no montante estimado de  €3.063.487,20”, consta na proposta.

Na ótica do município, “a instalação do CINDOR representará um passo significativo no fortalecimento e inovação do setor da joalharia em Guimarães”. A escola de ourivesaria será criada numa parceria entre o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e a Associação dos Industriais de Ourivesaria e Relojoaria do Norte (atual AORP – Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal).

Veja a reportagem realizada pelo Jornal de Guimarães há sensivelmente um ano sobre este tema.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73