skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
27 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

AE João de Meira acolhe exposição sobre Anne Frank até dezembro

Redação
Sociedade \ segunda-feira, novembro 13, 2023
© Direitos reservados
Parceria entre a Embaixada dos Países Baixos em Portugal, a Anne Frank House e outras duas instituições chega a Guimarães depois de passar em várias cidades do mundo. É inaugurada na quarta-feira.

Depois de percorrer várias cidades no mundo, a exposição “Anne Frank: uma história para hoje” vai passar por Guimarães, mais concretamente pela Escola Básica João de Meira, ao abrigo de um projeto de âmbito nacional que resulta de uma parceria entre a Anne Frank House, instituição que tutela o museu biográfico na antiga residência da família Frank, em Amesterdão, a Embaixada dos Países Baixos em Portugal, a Associação Comunidades que Florescem e a Escola Superior de Educação Paula Frassinetti.

Inaugurada na quarta-feira, às 17h00, a exposição estará ao dispor do público entre quinta-feira, 16 de novembro, e 07 de dezembro, sendo constituída por mais de 200 fotografias pessoais do arquivo da família Frank, assim como por excertos do “Diário de Anne Frank”, livro escrito entre 1942 e 1944, originalmente publicado em 1947, por Otto Frank, pai de Anne Frank.

Com recurso a 32 painéis educativos, a exposição conta a história de Anne através de uma linha temporal que cruza a Segunda Guerra Mundial e o Holocausto com a vida pessoal de Anne Frank, dando a conhecer a história de como a família Frank foge para a Holanda deixando para trás a Alemanha Nazi e de como foi obrigada a esconder-se durante cerca de dois anos num “anexo secreto”. A mostra também realça o momento da traição que os conduz aos campos de concentração e à morte. “Desta forma, os visitantes conseguem construir uma visão geral de como uma história pessoal se relaciona com eventos ocorridos a nível mundial”, lê-se na nota de imprensa do AE João de Meira.

A exposição tenciona manter viva a memória de Anne Frank (cujo diário continua a ser um símbolo das vítimas de todas as formas de discriminação e opressão) e informar sobre o regime nazi, que vigorou na Alemanha entre 1933 e 1945, estando na origem do Holocausto, genocídio responsável pela morte de seis milhões de judeus, além de pessoas de minorias étnicas e sociais e ainda de opositores ao regime de Hitler.

“Os painéis que a compõem foram concebidos para estimular o pensamento crítico sobre as semelhanças entre eventos do passado e acontecimentos no mundo atual, fomentando a reflexão sobre conceitos como liberdade, respeito mútuo, direitos humanos e democracia.

Através da influência que a história de Anne Frank e o seu diário têm, ainda hoje, pretende-se desafiar o preconceito e reduzir o ódio, inspirando e incentivando a escolha de atitudes empáticas, compassivas e de respeito pelos outros”, completa a nota.

A iniciativa inclui ainda a formação de alunos Guia Anne Frank - numa abordagem educativa desenvolvida pela Anne Frank House -, responsáveis pelas visitas guiadas aos colegas e professores, bem como à comunidade de Guimarães, através de visitas agendadas com a escola.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73