skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
29 junho 2022
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Filme-mosaico de Pedro Bastos sobre o Vale do Ave musicado ao vivo no CAAA

Redação
Cultura \ terça-feira, junho 14, 2022
© Direitos reservados
Exposição A Menos de 50km de Casa é composto por imagens do Vale Ave e está patente até 18 de junho. Esta quarta, uma camada de som de Rui Souza será acrescentada ao vivo no CAAA.

A exposição A Menos de 50km de Casa, de Pedro Bastos, está ainda em mostra no Centro para o Assuntos da Arte e Arquitetura (CAAA). E esta quarta-feira, pelas 22h00, haverá a projeção do negativo 35mm original do filme musicado ao vivo por Rui Souza.

Trata-se de um projeto sem fim à vista. Os primeiros 1973 metros de película 35mm filmados no mês de Dezembro de 2021, através do Vale do Ave, num raio de 50 quilómetros a partir da casa do autor, está em processo de desdobramento em curso. A exposição para ver no CAAA até 18 de junho é, assim, o início deste projeto que irá desenvolver-se ao longo do tempo.

"É um processo de acumulação de imagens em movimento que se centra na região, à margem de uma narrativa linear. Estes primeiros 71 minutos aproximadamente de filme a cores, foram transferidos para video digital, suporte em que serão exibidos nesta primeira fase, estando previsto futuramente uma projecção em cópia analógica de 35mm", lê-se na descrição da mostra.

Esta quarta-feira, acontecerá a leitura do processo de trabalho do artista e, no final, terá lugar uma conversa com o público.

As filmagens foram realizadas à medida que se achavam os locais, através de uma deambulação aparentemente aleatória pelo vale. Toda a obra é um diário de uma experiência vivida. As dificuldades encontradas durante todo o processo coabitam com a sua idealização e materialização; fazem parte e não foram excluídas. A paisagem documentada é uma acumulação diversificada de montes com igrejas e capelas para culto religioso, viadutos que cruzam eucaliptais e rios que vão desenhando e delimitando os lugares. O que se fez é, em certa medida, "uma emulação provocada pelo Vale do Ave — a sua planificação geográfica fragmentada levou a uma acção despistada ou desorientada pelo território, resultando num filme-mosaico".

A exposição Longe, que mostra a procura de Filipa Tojal pelo desconhecido e o indefinido, bem como o legado têxtil do Vale do Ave e ‘Fábrica de histórias: Encontrar, Texere e Confabular 100 anos da Coelima’ também podem ser visitados até dia 18 de junho.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: Guimarães em Debate #32