skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
15 agosto 2022
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Guimarães já pode partilhar bicicletas e trotinetes. E ganha estacionamento

Tiago Mendes Dias
Ambiente \ quinta-feira, agosto 04, 2022
© Direitos reservados
São 400 os veículos suaves partilhados do operador Bird, a um custo de 25 cêntimos por minuto, ao mesmo que tempo que surgem abrigos para bicicletas, junto às estações ferroviária e de camionagem.

A Câmara Municipal de Guimarães aprovou, a 07 de julho, a concessão de serviços de mobilidade partilhada a dois operadores já presentes noutras cidades lusas: a Bird, com as suas bicicletas e trotinetes azuis celeste, e a Bolt, que disponibiliza transportes tingidos de negro.

A partir desta quinta-feira, o tom azul-vivo da Bird é uma realidade: Guimarães é o 16.º município do país no qual o operador entra ao serviço, com 200 bicicletas e 200 trotinetes disponíveis para partilha. Quem se quiser servir de um veículo, tem de o desbloquear mediante a aplicação móvel da Bird, “associar um meio de pagamento” e “digitalizar o código presente no veículo”, adianta Bernardo Janson, diretor da empresa para a operação em território nacional.

Neste momento, esse código é “Olá Guimarães” e contempla um desconto de 30% em cinco viagens ao longo do primeiro mês. Qualquer viagem engloba o custo de um euro para desbloquear a trotinete ou a bicicleta, ao qual se acrescentam 25 cêntimos por minuto.

“Queremos que esta operação corra muito bem e que outros municípios acolham a nova solução de mobilidade partilhada”, acrescentou o responsável, esclarecendo que Braga, Matosinhos, Maia, Porto, Vila Nova de Gaia e Espinho já dispõem do serviço na zona Norte.

Presente na inauguração do serviço, o presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, vincou que “a bicicleta é um dos transportes que as principais cidades europeias usam no seu dia a dia”, exemplo que a cidade-berço quer seguir, ainda para mais quando se vê envolvida no compromisso para a neutralidade climática até 2030.

“Temos feito infraestruturas que têm em conta o uso da bicicleta. Precisamos de, nas intervenções nas nossas áreas urbanas, ter em conta o uso crescente da bicicleta para garantir a segurança nos tramos rodoviários, nas próprias faixas de estrada”, realça, admitindo que essa intervenção está em curso e se vai prolongar no tempo.

Ainda assim, o autarca lembra que a criação de “vias segregadas” em relação às faixas rodoviárias – como as ecovias até agora criadas – são importantes para incentivarem pessoas sem experiência a andarem de bicicleta. “O uso das vias segregadas é fundamental, mesmo que, no início, seja para lazer. O bom domínio da bicicleta faz com que as pessoas depois a usem em meio urbano, no quotidiano”, defende.

 

Bicicletas abrigadas das “intempéries” e da insegurança

 

Em conjunto com a abertura do serviço de bicicletas e trotinetes, o presidente da Câmara Municipal e a vereadora municipal para a Mobilidade e Transportes, Sofia Ferreira, inauguraram o novo serviço de estacionamento para bicicletas junto à antiga estação ferroviária.

Juntamente com a caixa instalada na central de camionagem, os equipamentos com capacidade para 20 bicicletas disponibilizam aos utentes um espaço para guardarem veículos e pertences caso tenham de fazer uma deslocação “supramunicipal”, explicou o engenheiro Rui Castro.

“Isso permite que as pessoas se possam deslocar para os destinos supramunicipais e deixarem as suas bicicletas guardadas, com um grau de segurança superior ao exterior. Elas têm cacifos. Há sempre um risco associado, mas são fechados. Há também uma ficha elétrica para carregar as baterias dos velocípedes, sejam trotinetes, sejam bicicletas”, realça.

Sem qualquer custo, o serviço já foi requisitado antes de “estar disponível”, principalmente por cidadãos estrangeiros.

Sofia Ferreira vê neste investimento a continuidade da estratégia do município para “fomentar modos mais suaves de circulação dentro do concelho”, com investimento do Fundo Ambiental, tal como em 2019, quando a autarquia comprou 20 bicicletas para incentivar a mudança de comportamento nos funcionários.

“Temos a frota desde 2019. Adquirimos 20 bicicletas, financiadas pelo Fundo Ambiental. O objetivo era incentivar os nossos funcionários a utilizarem a bicicleta em vez do carro; bicicleta elétrica para casa-trabalho. Já temos funcionários que optam por se deslocarem de bicicleta, sem quaisquer custos, de forma tranquila”, esclarece.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #33