skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
15 agosto 2022
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Guimarães tem 246 cidadãos que chegaram como refugiados

Redação
Sociedade \ terça-feira, agosto 02, 2022
© Direitos reservados
Informação foi avançada na reunião de 26 de julho do consórcio Guimarães Acolhe. Pessoas têm chegado de África, Ásia, América Latina e Europa, sobretudo Ucrânia, para tentarem reiniciar suas vidas.

O território vimaranense alberga 246 pessoas de várias nacionalidades que chegaram a Portugal na condição de refugiadas. A informação remonta a 26 de julho, data da mais recente reunião do Guimarães Acolhe, consórcio que reúne 22 entidades, entre os quais a Câmara Municipal de Guimarães e o movimento Pela Paz na Ucrânia.

A Ucrânia é precisamente a origem da maioria dos emigrantes europeus num concelho que também já acolheu pessoas com origem em África, na América Latina e, mais recentemente, na Ásia – trata-se de um grupo de jovens afegãos.

Realizado como ponto da situação, o encontro decorrido no Centro Internacional das Artes José de Guimarães foi coordenado pela vereadora para a ação social, Paula Oliveira, e teve a apresentação dos projetos que fruíram da parceria entre o Guimarães Acolhe e o mestrado integrado em Design de Produto da Universidade do Minho, considerado “mais-valia efetiva no processo de integração das pessoas refugiadas”, lê-se no comunicado da Câmara Municipal de Guimarães.

“A congregação de esforços entre as várias entidades e instituições de Guimarães tem possibilitado que estas pessoas, vítimas de conflitos ou discriminação, possam retomar as suas vidas e voltar a ter esperança num futuro melhor”, acrescenta o município.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #33