skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
20 julho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Há uma eleição para a “Árvore do Ano” — e quem decide são os vimaranenses

Pedro C. Esteves
Sociedade \ sexta-feira, março 12, 2021
© Direitos reservados
A votação estão oito árvores espalhadas pelo concelho, todas centenárias e classificadas como de interesse público pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.

Uma iniciativa do Laboratório da Paisagem quer dar destaque ao papel essencial da árvore — elemento estruturante da paisagem, referia Gonçalo Ribeiro Telles —, por isso, com o Dia Mundial da Árvore aí à porta, chama os vimaranenses a participar e eleger a “Árvore do Ano de Guimarães 2021″.

A efeméride comemora-se a 21 de março e a escolha será feita pelos vimaranenses através de uma votação que está disponível nas redes sociais e no sítio do Laboratório da Paisagem. A sufrágio “estão oito árvores, todas centenárias e classificadas como de interesse público pelo ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas”, refere o Laboratório da Paisagem numa nota informativa.

Sendo assim, os vimaranenses podem escolher entre os três cedros-do-himalaia localizados no Cemitério Municipal da Atouguia; um eucalipto na Penha; dois plátanos nos jardins do Paço dos Duques de Bragança; o pinheiro-manso em Silvares; e a oliveira no Museu de Alberto Sampaio. Refira-se que esta última aguarda ainda que a sua classificação seja publicada em Diário de República.

O oriente e as Américas aqui tão perto

Ao mesmo tempo, está disponível uma página com o arvoredo classificado como de interesse público em Guimarães, desde as árvores isoladas (a votação) e conjuntos arbóreos. Entre eles está a Casa da Ribeira, em Ponte. Localizada numa mata de recreio, que circunda uma casa senhorial construída ao estilo de finais do séc. XIX e início do séc. XX, onde existia o gosto pelo colecionismo de plantas oriundas do oriente e do continente americano.

“O Laboratório da Paisagem lança ainda o desafio aos vimaranenses para que possam identificar outros exemplares, sobretudo em terrenos privados, para que possam ser avaliadas as suas classificações”, lê-se na nota informativa.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73