skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
22 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Hotel que “armazena carbono” vai nascer junto ao campus de Azurém da UMinho

Redação
Economia \ sexta-feira, janeiro 28, 2022
© Direitos reservados
Primeira pedra da unidade de 3 Estrelas, destinada a 95 quartos e a 44 apartamentos para estudantes universitários, foi colocada nesta sexta-feira. Projeto afirma-se exemplo de “economia circular”.

As movimentações de terras entre o campus de Azurém da Universidade do Minho e o acesso à circular urbana, visíveis ao longo do primeiro mês de 2022, anteciparam a colocação da primeira pedra de um hotel, decorrida nesta sexta-feira.

Fruto de um investimento de 11 milhões de euros, o projeto da cadeia B&B Hotels contempla a edificação de uma unidade de 3 Estrelas, com 95 quartos, 44 apartamentos para estudantes universitários e ainda espaços comerciais, adiantou o Grupo Casais, construtor da obra, em comunicado.

Concebido pelo arquiteto Mário Fernandes, o novo imóvel compromete-se a integrar “preocupações de sustentabilidade ambiental” ao nível da “saúde ocupacional dos futuros utilizadores” e da “eficiência energética”. O futuro hotel está a ser erguido para emitir menos gases de efeito de estufa, através do “armazenamento de carbono”, e para reutilizar 50% dos materiais que cheguem ao “final do ciclo de vida”, acrescentou a empresa.

O diretor executivo do Grupo Casais, António Carlos Fernandes, frisou, em comunicado, que o projeto é exemplo da “aposta numa constante e contínua melhoria de processos, na inovação, na digitalização do negócio e na construção sustentável”.

Adquirido pela Goldman Sachs em conjunto com a sua equipa de gestão no ano de 2019, o grupo B&B Hotels tem já sete unidades a operar em Portugal, entre as mais de 600 espalhadas pela Europa e pelo Brasil.

A Câmara Municipal de Guimarães também compareceu à implantação da primeira pedra, tendo frisado, em comunicado, que o “edifício será construído segundo as mais recentes técnicas modulares”, “em madeira”, “carbono natural que se renova” e “será eficiente energicamente”, com “sistemas de sensorização para garantir uma alta qualidade de habitabilidade”.

O presidente da Câmara, Domingos Bragança, referiu que “o empreendimento integra todos os conceitos da economia circular e está em linha com as políticas ambientais do município”.

 

 

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73