skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
27 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Idêntico de março para abril, desemprego no IEFP sobe 15% no último ano

Tiago Mendes Dias
Economia \ terça-feira, maio 30, 2023
© Direitos reservados
Embora o pico de 2023 date de fevereiro, o número de inscritos em Guimarães foi, em abril último, de 5.986 pessoas, mais 15,5% do que em igual período de 2022. É também o maior número no Quadrilátero.

Guimarães terminou abril de 2023 com 5.986 pessoas inscritas no Instituto de Emprego e Formação Profissional, um dos indicadores de desemprego da população. Se o aumento de inscritos face a março último é de 0,2% - havia então 5.973 pessoas registadas -, a subida face a abril de 2022 é bem mais acentuada: situa-se nos 15,5%. Em abril de 2022, o IEFP contabilizava 5.184 cidadãos desempregados.

Depois do mínimo de julho de 2022 (4.958 inscritos), o desemprego em Guimarães segundo o IEFP cresceu paulatinamente desde agosto, tendo atingido o pico de 6.200 pessoas em fevereiro último.

Entre as pessoas inscritas em abril último, predominam as mulheres – 3.449, perfazendo 57,6% do total -, os desempregados há menos de um ano – 3.487 (58,3%) – e os trabalhadores que já estiveram empregados e procuram um novo desafio profissional – 93%.

A nível etário, o desemprego afeta sobretudo aqueles que têm mais de 55 anos – são 2.400 e correspondem a 40,1% do total – e os que se encontram entre os 35 e os 54 anos – 2.000 pessoas (33,4%).

O nível de escolaridade mais frequente entre os inscritos é o Ensino Secundário – 1.623 pessoas (27,1%) -, seguido do 1.º Ciclo do Ensino Básico – 1.379 (23%) – e do 3.º Ciclo – 1.028 (17,1%). Os desempregados com ensino superior são 741 (12,5%).

 

 

Município com mais desemprego no Quadrilátero. Terceiro a Norte

Com 5.986 inscritos, Guimarães era, em abril de 2023, o município do Quadrilátero Urbano com mais desempregados no IEFP. Essa realidade difere da há de um ano, quando esse estatuto cabia a Braga, o concelho mais populoso dessa associação: em abril de 2022, tinha 5.610 desempregados, mais 426 do que Guimarães. Desde então, o desemprego cresceu 15,5% em Guimarães e estagnou em Braga – em abril último, havia 5.601 inscritos. No Norte de Portugal, só Vila Nova de Gaia (10.332) e o Porto (9.961) têm mais inscritos.

Vila Nova de Famalicão, o terceiro município mais populoso do Quadrilátero, reunia 3.387 pessoas inscritas no IEFP, enquanto Barcelos, o menos populoso, apresentava também o número mais baixo de desempregados (2.042).

A partir dos dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) na sexta-feira, 26 de maio, também se verifica que Guimarães apresenta, no Quadrilátero, a maior percentagem de inscritos face à população ativa identificada pelos Censos 2021. Em Guimarães, foram identificadas 78.731 pessoas ativas. Assim, a taxa de desemprego do IEFP em relação a esse indicador fixava-se, em abril de 2023, nos 7,6%.

Em Braga, município com 97.969 cidadãos considerados ativos, essa taxa é de 5,7%. Já em Famalicão, onde há 67.528 pessoas consideradas ativas, essa percentagem é de 5%. O município menos populoso, Barcelos, com 58.284 cidadãos incluídos no espetro da população ativa, apresenta também a menor taxa (3,5%).

 

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73