skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
27 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Já se circula a pé em toda a extensão da Rua D. João I

Tiago Mendes Dias
Cultura \ sexta-feira, novembro 26, 2021
© Direitos reservados
Com um traçado que remonta à Idade Média, a artéria já está totalmente ao dispor dos transeuntes, faltando alguns pormenores para a conclusão da requalificação orçamentada em 963 mil euros.

Quem circula a pé pela cidade já pode descer pelo troço da rua D. João I entre a rua Paio Galvão e o entroncamento para a rua Doutor Bento Cardoso. Ou fazer o sentido inverso. A última secção intervencionada na requalificação da artéria de origem medieval está já aberta aos transeuntes, exibindo uma nova calçada em microcubo de granito e passeios revestidos com novas lajes graníticas entre a Igreja de São Domingos, o edifício da Venerável Ordem Terceira de São Domingos e as fachadas antigas das casas.

A obra não está ainda concluída, porém; há alguma sinalização no meio da rua que dá conta dos pormenores ainda a terminar. Investimento de 963 mil euros, a empreitada estava inscrita no Orçamento Municipal para 2020, tendo arrancado a 13 de julho desse ano, na cota mais baixa da rua, junto à Avenida Conde de Margaride. O troço mais baixo está aberto desde setembro, evidenciando nova calçada, novos passeios e a redução do espaço destinado ao aparcamento automóvel. A conclusão da obra, recorde-se, estava inicialmente agendada para maio deste ano.

Percorrida desde a Idade Média, inclusivamente pelo rei que lha dá o nome – deslocou-se à Colegiada de Guimarães para agradecer a vitória na Batalha de Aljubarrota, a 14 de agosto de 1385, entregando o pelote de batalha, as armas e uma corrente de outro -, a rua mantém as feições que já tinha em 1569, data da mais antiga planta que se conhece de Guimarães.

Ainda relativamente ao Orçamento Municipal de 2020, também a rua da Caldeiroa, alvo de uma requalificação de 870 mil euros, está aberta aos peões. Já o traçado que inclui as ruas D. Constança de Noronha e Padre António Caldas, nas imediações do Paço dos Duques de Bragança e do Largo Condessa Mumadona, ainda está em obras; a rua D. Constança de Noronha abriu ao trânsito automóvel e aos peões na noite desta quarta-feira, ao mesmo tempo que o troço da Padre António Caldas até ao entroncamento para o acesso à prisão fechou. A empreitada está orçamentada em 1,25 milhões de euros.

 

Rua D. João I junto ao padrão renascentista (perspetiva antes da obra)

Rua D. João I junto ao padrão renascentista (perspetiva antes da obra)

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73