skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
21 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

JSD de Guimarães aponta “perda de autenticidade” na Torre da Alfândega

Redação
Cultura \ quarta-feira, agosto 02, 2023
© Direitos reservados
Retirados os andaimes, a torre da antiga muralha surgiu com massa nas juntas e com luzes verde e rosa na inscrição “Aqui Nasceu Portugal”. JSD fala de intervenção “sem o devido respeito à história”.

A Torre da Alfândega, único exemplar de torre que sobrevive no traçado da antiga muralha medieval de Guimarães, apareceu com uma face renovada na terça-feira, circunstância que levou a Juventude Social Democrata a exprimir o seu desagrado no dia seguinte. A organização de jovens do PSD crê que a nova cara daquele edifício, alvo de um investimento de 1,5 milhões de euros para a sua requalificação, é “o desvirtuar de um dos maiores símbolos da cidade de Guimarães”.

A entidade presidida por André Ferreira crê que a requalificação da estrutura se fez com cimento entre as juntas, algo que, no seu entender, se traduz na perda de “parte de sua autenticidade e originalidade, contrastando com a beleza e a sensibilidade de seu valor histórico”. A JSD vê ainda “hipocrisia no zelo histórico do património”, após a Câmara Municipal ter recusado retirar das juntas da muralha o que considera plantas infestantes, face ao período de nidificação do andorinhão-preto.

A JSD vinca ainda que a escolha de luzes verde e rosa foi “recebida com perplexidade pelos vimaranenses, levando-os a sentirem-se “desrespeitados” perante um monumento de tal relevância. “Acreditamos que qualquer requalificação em monumentos históricos deve ser conduzida com extremo cuidado e consideração pela herança cultural que representam. Infelizmente, a intervenção na Torre da Alfândega parece ter sido feita sem o devido respeito à história que a estrutura carrega consigo e sem levar em conta a importância simbólica que possui para os cidadãos”, refere o comunicado emitido esta quarta-feira.

A organização pede ainda que a Câmara Municipal de Guimarães e o seu executivo “considerem as críticas da população e repensem a abordagem adotada nesta intervenção”. “Pedimos que a luzes verdes e rosa sejam retiradas e voltem as luzes brancas a fim de salvaguardar a identidade e a história da cidade”, lê-se.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73