skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
21 julho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Lajes da Plataforma das Artes lavadas em tempo de seca

Redação
Ambiente \ quarta-feira, fevereiro 23, 2022
© Direitos reservados
Na segunda e na terça-feira, o piso de betão da praça foi alvo da lavagem. Câmara Municipal diz que há medidas em curso para restringir o uso de água. Ministro do Ambiente pondera novas restrições.

As lajes de betão da Plataforma das Artes foram lavadas na segunda e na terça-feira. Essa tarefa foi levada a cabo num período em que Portugal atravessa uma seca desde janeiro.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), todo o território continental estava já em seca no final de janeiro: 1% em seca fraca, 54% em seca moderada, 34% em seca severa e 11% em seca extrema. Janeiro de 2022 foi o sexto mais seco desde 1931 e o segundo mais seco desde 2000, confirmou a mesma instituição.

Na terça-feira, o ministro do Ambiente e da Ação Climática, Matos Fernandes, admitiu a instauração de “medidas concretas para a redução e para a poupança de água”, sobretudo em atividades agrícolas e urbanas, como “a rega de espaços verdes”, as “lavagens de ruas”, a “lavagem de alguns equipamentos”. A promoção de “uma grande campanha de poupança de água” é outra das ações em cima da mesa, proferiu o responsável.

 

Câmara Municipal diz já ter em curso medidas de poupança

Responsável pela gestão e manutenção do espaço público, a Câmara Municipal de Guimarães adiantou já estarem em curso medidas de poupança da água, apesar do sucedido na Plataforma das Artes. A redução das lavagens dos arruamentos e das praças públicas, utilizando o recurso à água apenas nas zonas com maior insalubridade e não em toda a extensão dos passeios ou praças é uma delas.

A redução da frequência das lavagens dos arruamentos na sua maior extensão é outra das ações previstas, a par da “redução das lavagens dos tanques públicos”, do “fecho dos sistemas de rega automática em toda a cidade” e da “continuação da alteração das espécies plantadas para redução de água da rega”, que contempla a “implementação de prados de sequeiro em substituição de relvados”.

A autarquia promete ainda “reduzir o horário de funcionamento das fontes” e apresentar uma “campanha de prevenção para a poupança de água”, em parceria com o Laboratório da Paisagem, no âmbito juntamente com o Laboratório da Paisagem, no âmbito de uma candidatura à rede CapT2, que tem em vista a “circularidade da água”.

 

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73