skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
03 dezembro 2022
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Margarita Escarpa abre FIGG de 2021 quase todo agendado para o "online"

Redação
Cultura \ quinta-feira, julho 01, 2021
© Direitos reservados
Sétima edição do evento de guitarra clássica arranca na segunda-feira com intérprete espanhola. O programa estende-se até dezembro, com concertos, mas também masterclasses, concurso e conferências.

É com uma solista que interpreta compositores como Bach ou Debussy e que, em 1994, ganhou o concurso internacional da Guitar Foundation of America (Fundação Americana de Guitarra), um dos dois mais importantes a nível mundial, que se vão ouvir os primeiros acordes da sétima edição do Festival Internacional de Guitarra de Guimarães (FIGG).

O concerto de Margarita Escarpa, instrumentista de Madrid, está agendado para as 19h00 da próxima segunda-feira, 05 de julho, com transmissão via streaming, na plataforma oficial do festival. A atuação vai decorrer no Paço dos Duques de Bragança, sendo gravada nesta sexta-feira.

Aos 56 anos, a artista, que já gravou pelo menos quatro álbuns desde 1991 e já trabalhou com performers como David Russell, vencedor de um Grammy em 2005 como melhor solista instrumental em música clássica, é o primeiro nome de um cartaz com vários artistas renomados.

Há, desde logo, regressos como os de Dejan Ivanovich, solista nascido na Bósnia e Herzegovina ligado à Universidade de Évora, que já venceu, por exemplo, o concurso do Certamen Internacional Francisco Tárrega, em Benicasim (Espanha).

Há ainda vários nomes emergentes do panorama internacional Cheng Shi (China), François-Xavier Dangremont (França), Kevin Loh (Singapura) e Alvaro Miranda (Costa Rica), artistas reconhecidos pela Eurostrings, plataforma que reúne 18 festivais de guitarra clássica do continente, incluindo o de Guimarães, o único português. Os concertos vão quase todos decorrer em outubro.

Já o francês Louison Petit vai atuar como vencedor do 6.º Concurso Internacional de Guitarra "Cidade de Guimarães" na categoria F (sénior), decorrido em 2019, a 06 de julho.

Também há nomes lusos em emergência: Tiago Cassola e Eduardo Baltar Soares, que vão atuar em dueto, com uma guitarra clássica e uma guitarra portuguesa. Os artistas vão homenagear a música portuguesa, particularmente Carlos Paredes, com a atuação No labirinto de Paredes, a 25 de julho.

Realce ainda para o concerto da Orquestra Portuguesa de Guitarras e Bandolins, denominado Músicas do Mundo – A viagem de circum-navegação, a 10 de julho. A atuação inclui dois bandolins, uma bandola, duas guitarras portuguesas e um contrabaixo. Sediado em Rio Tinto desde 2010, o sexteto já encheu, por exemplo, a Casa da Música.

Com a emigração para o online, a 7.ª edição do festival vai-se repartir por três palcos: o FIGG, que recebe, por exemplo, Margarita Escarpa, o Eurostrings, que vai exibir atuações de outros festivais da plataforma, e o “Remember”. Esse terceiro palco destina-se a iniciativas de edições anteriores, como o concerto do duo Kontaxakis-Ivanovich e as conferências “Música como janela para o cérebro”, do neurocientista vimaranense Tiago Gil Oliveira, e “Descascando a guitarra mágica de Eurico Cebolo”, de Aires Pinheiro.

Através da presença online, o festival promete chegar a mais pessoas e nacionalidades, permitindo a participação de músicos que normalmente não teriam possibilidades financeiras para estarem fisicamente em Guimarães. 

 

 

Música e mente

Na edição de 2021, haverá ainda cinco novas conferências que exploram a relação entre música e perceção, o desenvolvimento da música nas crianças ou a própria história dos instrumentos musicais em Guimarães: além de Tiago Cassola e de Eduardo Baltar Soares, dois dos performers deste ano, serão oradores Beatriz Ilari, Mafalda Sousela e Ricardo Barceló, guitarrista ibero-americano que é presença assídua no FIGG.

A conferência de Beatriz Ilari vai mencionar, por exemplo, as participações dos neurocientistas António Damásio e Hanna Damásio no seu estudo que será apresentado na Universidade do Sul da Califórnia. Já Mafalda Sousela vai falar sobre a relação entre a mente do compositor e a do ouvinte, com Let it be, enquanto Barceló vai falar sobre o ensino de guitarra, com Gatayes e Sor: professores de guitarra em escolas para jovens damas em Paris?. À exceção da conferência de Beatriz Ilari, agendada para 31 de julho, as outras estão marcadas para setembro. Para outubro, estão agendadas talks no âmbito da Eurostrings. 

 

Masterclasses e concurso internacional de regresso

As masterclasses e o Concurso Internacional de Guitarra “Cidade de Guimarães” também estão de regresso. As masterclasses - aulas para alunos do ensino artístico especializado – estarão a cargo da dupla Margarita Escarpa e Dejan Ivanovich, bem como dos artistas Eurostrings - Alvaro Miranda, Cheng Shi, François-Xavier Dangremont e Kevin Loh, em outubro. Já o concurso está agendado para dezembro, em formato totalmente digital.

Membro da Eurostrings, iniciativa criada em 2017 com o apoio do programa Europa Criativa, da União Europeia, o FIGG é organizado pela Sociedade Musical de Guimarães, tendo direção artística de Nuno Cachada. Tem ainda o apoio da Câmara Municipal de Guimarães.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #38