skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
14 junho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Maria José Fernandes sobe de vice a presidente no Conselho dos Politécnicos

Tiago Mendes Dias
Ciência & Tecnologia \ domingo, fevereiro 20, 2022
© Direitos reservados
Presidente do IPCA, a vimaranense tem a “atribuição do grau de doutor” nos institutos politécnicos como uma das prioridades do mandato de dois anos.

Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) desde 2017, Maria José Fernandes é também agora a presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP).

Eleita para um mandato de dois anos por unanimidade, a doutorada em ciências empresariais, natural de Guimarães, pretende “afirmar o ensino superior politécnico no panorama nacional e internacional”, contribuindo para “os objetivos no âmbito da Agenda Europeia 2030”, lê-se no comunicado a dar conta da sua nova função.

Para a nova presidente do CCISP, a visão estratégica dos politécnicos no panorama nacional e internacional, enquanto agentes de transformação das sociedades e das regiões onde atuam, deve nortear-se para a concretização de desafios no ensino, na investigação e na interação com a sociedade.

Vice no anterior mandato, Maria José Fernandes deseja ainda que os politécnicos reforcem a sua contribuição para os objetivos no âmbito da Agenda Europeia 2030, designadamente com a “qualificação e formação ao longo da vida – quer de jovens, quer de adultos – e com a melhoria de competências das pessoas, em qualquer domínio da sociedade”, adianta.

Para este propósito, o CCISP conta também com a implementação dos programas Impulso (Jovem e Adultos), aprovados em todos os politécnicos no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência português em desenvolvimento, bem como com os programas de digitalização e de sustentabilidade em curso.

Maria José Fernandes realçou ainda a importância do alinhamento com os European Innovation Hubs, para se promover a transformação das regiões e o seu desenvolvimento sustentável. “Para concretizar este objetivo, é fundamental que os Politécnicos possam atribuir o grau de Doutor, pelo que esta será uma das prioridades deste início de mandato. Muito em breve será novamente submetida, na Assembleia da República, a iniciativa legislativa de cidadãos para que os politécnicos possam atribuir o grau de doutor e vejam, ainda, alterada a sua designação para Universidades Politécnicas”, afirma a presidente do CCISP.

Para o futuro, Maria José Fernandes reitera que “há reformas fundamentais a serem concretizadas nos próximos anos, em que o CCISP pretende ter um papel preponderante, nomeadamente, a Revisão do Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior (RJIES) e o Estatuto da Carreira de Pessoal Docente do Ensino Superior Politécnico, diplomas estruturantes para o sistema de ensino superior. O CCISP quer participar e ser parte integrante no processo de transformação social e de desenvolvimento cultural de Portugal”.

A nova presidente do CCISP é licenciada em Gestão, Doutorada em Ciências Empresariais (área da Contabilidade) e tem o título de agregada em Gestão pelo Instituto Superior de Economia e Gestão (IESG) da Universidade Técnica de Lisboa. Foi diretora do Centro de Investigação em Contabilidade e Fiscalidade (CICF) do IPCA entre 2008 e 2017.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73