skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
27 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Morreu Moncho Rodríguez, autor que marcou Guimarães com “A Grande Serpente”

Redação
Cultura \ sábado, janeiro 28, 2023
© Direitos reservados
Com uma carreira repartida entre Espanha, Portugal e Brasil, encenador esteve na raiz do Teatro Oficina, com “A Grande Serpente”, peça recriada em 2022, ano em que esteve muito ativo em Guimarães.

Ao fim de mais de 40 anos a pensar, a criar e a encenar teatro, Moncho Rodríguez morreu este sábado, em Salvador, no estado brasileiro da Baía, vítima de doença prolongada. Com um percurso que englobou sobretudo Espanha, Portugal e Brasil, o autor também deixou a sua marca em Guimarães.

Em 1994, conduziu o processo artístico que reuniu centenas de intérpretes para “A Grande Serpente”, peça estreada a 02 de julho de 1994, na antiga fábrica de curtumes Âncora – hoje o centro Ciência Viva. Criada no âmbito da Oficina de Dramaturgia e Interpretação Teatral, promovida pela Câmara Municipal de Guimarães, a encenação esteve na origem do Teatro Oficina.

Encenador de várias outras peças exibidas no país, como “A Visita”, do Teatro Meridional, de Lisboa, exibida em janeiro do ano passado, Moncho Rodríguez foi um dos nomes em evidência no 2022 cultural de Guimarães, com a recriação de “A Grande Serpente”, em três sessões no mesmo local de 1994 – a primeira dessas sessões realizou-se até a 02 de julho -, e com a encenação de “Os gigantes da montanha”, obra do dramaturgo italiano Luigi Pirandello, entre 23 e 26 de novembro, na sede da ASMAV.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73