skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
22 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

O pé esquerdo de Gonçalo Franco indica o caminho para um final feliz

Redação
Desporto \ domingo, maio 12, 2024
© Direitos reservados
Certeiro na resposta a um cruzamento, o médio carimbou o tão desejado quão justo sexto lugar do Moreirense FC. Mas a época pode ainda trazer mais um sorriso: recorde pontual à distância de um empate.

Com a bola à mercê após cruzamento teleguiado de Fabiano, Gonçalo Franco encheu o pé e disparou a bola em estilo para o fundo das redes casapianas. Foi assim que, aos 33 minutos, o médio se estreou a marcar nesta edição da Liga Portugal Betclic. Não foi um golo qualquer: foi aquele que consumou a sexta posição do Moreirense FC no campeonato, uma prestação que iguala a de 2018/19, com o técnico Ivo Vieira ao leme.

A vitória desta tarde frente ao Casa Pia, por 1‐0, também permitiu aos cónegos igualarem os 52 pontos dessa temporada quando ainda lhes resta um jogo, no Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas. Em caso de triunfo ou empate na receção ao Estoril Praia, a formação de Moreira de Cónegos alcança a melhor pontuação de sempre no escalão maior, colocando a cereja no topo de um bem decorado e saboroso bolo.

O portentoso remate do médio de 23 anos decidiu um encontro em que o Moreirense foi quase sempre a equipa mais esclarecida após a entrada mais forte dos gansos, consumada no remate em arco de Yuki Soma a rasar o poste esquerdo da baliza vimaranense. Com o avanço do cronómetro ao sol de Rio Maior, os pupilos de Rui Borges adiantaram‐se no terreno, anularam as saídas rápidas da equipa de negro e forçaram algumas aproximações à baliza contrária, sendo bem‐sucedidas nesse belo remate de Gonçalo Franco.

Ao intervalo, o sexto lugar do Moreirense FC era praticamente um dado adquirido. Sétimo classificado, com 46 pontos, o concorrente Arouca perdia por 4‐0 diante do Benfica decorridos apenas 45 minutos. Mas os cónegos resistiram à tentação de abrandar mesmo com o objetivo à mercê. Embora nem sempre a um ritmo elevado, os homens de verde e branco controlaram quase sempre as operações sobre o tapete verde e ainda criaram ocasionais momentos de perigo.

Aliás, a ocasião mais flagrante até ao apito final pertence ao Moreirense: servido por Kodisang nos instantes finais, a concluir um contra‐ataque, Vinicius Mingotti acertou em cheio na trave. Não foi, contudo, obstáculo que travasse a caminhada do Moreirense FC rumo a um pôr do sol vitorioso, que o deixa à porta de fazer (ainda mais) história.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73