skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
13 julho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

O Peles volta a ocupar Vermil e Airão. E estende-se neste ano a Riba d’Ave

Redação
Cultura \ terça-feira, dezembro 06, 2022
© Direitos reservados
A sétima edição do festival de percussão com raiz a oeste do concelho inicia no CLAV e encerra no Teatro Narciso Ferreira, no vizinho município de Famalicão, passando pelo auditório de Airão São João.

Com um programa que se estende de 08 a 13 de dezembro, o Peles regressa para a fusão das “linguagens musicais de percussão” com “vários géneros não só musicais mas também performativos” e para a “dinamização da oferta cultural” do vale do rio Pele, que se reparte entre as freguesias vimaranenses que compõem a Comissão Social Inter-freguesias (CSIF) Oeste e a CSIF famalicense que tem como Joane a “principal referência”, quando a região “cada vez mais se debate com um défice de juventude e a perda de capacidade de atração face às grandes metrópoles”, lê-se no comunicado da CAISA, cooperativa que organiza o festival internacional em colaboração com a TOCA, academia de artes performativas de Joane.

Depois de passar pelo WOMEX de 2022, em Lisboa, Ana Lua Caiamo é a protagonista do primeiro concerto do festival internacional. Com música criada a partir de um sintetizador, de uma loop station, de um microfone, de um bombo e de vários instrumentos percussivos para fundir o “tradicional” e a “eletrónica”, a autora passa pelo Centro e Laboratório Artístico de Vermil (CLAV) em formato de residência artística no dia 09 de dezembro, sexta-feira, e passa, nessa mesma noite, a partir das 21h30, pelo auditório da sede da Junta de São João de Airão, para uma sessão de música para crianças (maiores de seis anos).

No fim de semana, o centro de gravidade muda-se para o Teatro Narciso Ferreira (TNF), edifício dos anos 40 do século XX, recuperado e inaugurado há pouco mais de um ano. Em Riba d’Ave, vila do concelho de Famalicão contígua ao território vimaranense, Jorge Lima e Jonathan da Silva vão interpretar a nova criação do compositor aveirense Gerson Batista, Com certeza é uma tasca portuguesa.

O concerto está marcado para as 21h30 de sábado, precedendo o concerto dos Atlantic Percussion Group, projeto residente no Peles desde 2016. A dupla formada por Tomás Rosa e José Afonso Sousa vai apresentar uma “nova criação”, como, de resto, já é timbre desde que atuam. A performance está marcada para as 17h30 de domingo. Antes, o TNF recebe a apresentação do livro Obras Vencedoras da 1º Edição de Composição para Percussão PELES - International Drum Fest, a partir das 16h00 de sábado.

O programa inclui ainda uma oficina de percussão brasileira, a cargo de Fernando Reis e de João Afonso Sousa, com horários disponíveis no dia em que abre o festival – quinta-feira – e na sexta-feira, a partir das 14h00, com uma duração a rondar as duas horas em cada sessão.

O Peles que se avizinha encerra com as três sessões de música para infância dos Oidako. O coletivo espanhol de percussão realiza a primeira sessão de CDC – Cousas de Quatro – às 10h00 de segunda-feira, no auditório da Junta de Freguesia de Airão São João e atua em Riba d’Ave na terça-feira, com uma sessão prevista para as 10h00 e outra para as 14h30. Os bilhetes para todas as iniciativas do Peles são gratuitos.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73