skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
21 julho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Olimpíadas da Educação Financeira: escola vimaranense vence prémio nacional

Redação
Educação \ sexta-feira, março 25, 2022
© Direitos reservados
Alunos da Escola Básica Arquiteto Fernando Távora alcançaram a melhor pontuação entre as turmas do 3.º ciclo, vencendo este evento a nível nacional.

Uma turma da Escola Básica Arquiteto Fernando Távora, o 8.º C, venceu o concurso interescolar Olimpíadas da Educação Financeira ao conseguir o maio número de pontos no escalão referente ao 3.º ciclo.

Estas olimpíadas tratam-se de uma competição aberta a mais de 13 mil alunos de meia centena de municípios, pondo-se à prova conhecimentos em áreas como planeamento e gestão do orçamento, sistemas e produtos financeiros, poupança, ética, direitos e deveres e ainda economia circular.

Promovida pela Fundação Dr. António Cupertino de Miranda, esta competição desenvolveu-se através de um quis digital, tendo a participação de 650 turmas. Outras quatro turmas foram premiadas em Guimarães a nível municipal, por obterem o melhor resultado, no respetivo escalão, entre todos os participantes do mesmo concelho. No 1.º e 2.º ano do 1.º ciclo, a vitória coube ao 1.º ano da Escola Básica de Cruz de Argola, enquanto no 3.º e 4.º ano se destacou o 4.º ano da Escola Básica de Vieite. O 5.º ano da Escola Básica do Vale de São Torcato venceu no escalão do 2.º ciclo e o 10.º SE1 da Escola Secundária Martins Sarmento obteve a melhor pontuação do Ensino Secundário também a nível municipal.

“As Olimpíadas de Educação Financeira são exemplo das dinâmicas pedagógicas que desenvolvemos no ‘No Poupar Está o Ganho’ e que contribuem para uma aprendizagem mais eficaz. Através de jogos, de conteúdos multimédia e da competição saudável entre turmas e escolas, este projeto cumpre a missão de integrar nas vidas dos mais novos conceitos de literacia financeira e de poupança que têm grande importância na sua formação enquanto futuros consumidores mais informados, conscientes e responsáveis”, refere Maria Amélia Cupertino de Miranda, presidente da Fundação Dr. António Cupertino de Miranda.

Artigos relacionados

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73