skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
07 outubro 2022
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Os 900 anos da Batalha de São Mamede vão chegar a todas as freguesias

Pedro C. Esteves
Cultura \ sexta-feira, setembro 16, 2022
© Direitos reservados
Para assinalar o "contributo" e "tudo o que Guimarães fez pelo país", uma rede de arte pública vai interligar todas as freguesias do concelho em 2028. Paulo Lopes SIlva preside comissão artística.

Guimarães vai celebrar os 900 anos da Batalha de São Mamede, em 2028, com intervenções de arte pública em todas as freguesias do concelho. O objetivo é unir todo o território na comemoração da efeméride. Para isso, o município está a preparar uma estrutura de missão para levar o projeto a bom porto e designou uma comissão artística que vai ser presidida por Paulo Lopes Silva.

Envolver todas as freguesias do concelho e a comunidade escolar é um dos desígnios da iniciativa que quer ser mais do que uma rememorarão do 24 de junho de 1128. “É importante que a comemoração não se fixe apenas no 24 de junho, mas no contributo que este território deu nestes 900 anos, tudo aquilo que Guimarães fez pelo país, nomeadamente o contributo têxtil”, assinalou Paulo Lopes Silva.

A vereação, na última reunião de câmara, deu luz verde ao vereador da cultura para presidir a Comissão Artística que vai avaliar as intervenções. Este órgão vai “colaborar com o município e com as freguesias na seleção dos factos e figuras a retratar nas diferentes autarquias, bem como na expressão artística de que as mesmas se poderão revestir”. O município convida a intervenções em torno da Indústria, de Raul Brandão ou da ocupação prévia à nacionalidade das citânias e castros do Concelho, por exemplo.

“O objetivo passa pela concretização de obras que assinalem a efeméride de forma indelével na Cidade e, paralelamente, desenvolver com as comunidades de todas as freguesias do concelho intervenções de arte pública em cada território, celebrando a construção do país que emergiu daquele acontecimento fundador”, lê-se no texto que foi a votação.

Esta ideia de ter um momento evocativo da batalha a chegar a todo o território na forma de uma rede de arte pública foi bem acolhida pela oposição, contudo, Ricardo Araújo, vereador eleito pela coligação Juntos por Guimarães, sugeriu que a Câmara Municipal deveria apresentar em reunião a composição de todas as comissões – serão três. “Começar pela comissão artística quando falta a cientifica não faz sentido: uma está ligada com a outra”, reparou.

Integram a comissão artística Isabel Fernandes, diretora do Paço dos Duques de Bragança e do Museu de Alberto Sampaio; Jorge Correia, professor associado e vice-presidente da Escola de Arquitetura da Universidade do Minho (UMinho); Marta Mestre, diretora artística do Centro Internacional das Artes José de Guimarães; Susana Gaudêncio, professora adjunta da Escola de Arte e Design da UMinho; Ricardo Areias, Presidente do CAAA - Centro para os Assuntos da Arte e Arquitetura; e Helena Pires, professora associada do departamento de Ciências da Comunicação do Instituto de Ciências Sociais da UMinho.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #35