skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
07 outubro 2022
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Os Encontros da Imagem estão aí. E damos de caras com eles em Guimarães

Redação
Cultura \ terça-feira, setembro 20, 2022
© Direitos reservados
Há retratos de famílias LGBTQI+ residentes em Portugal, diálogos animalescos e o trabalho precário no Alentejo para ver em Guimarães no campus de Azurém e a partir de sábado no CAAA e Paço dos Duques

A 32ª edição dos Encontros da Imagem - Festival Internacional de Fotografia e Artes Visuais apresenta, de hoje até 30 de outubro, 50 exposições de 95 artistas em 26 espaços de Braga, Porto, Guimarães, Barcelos e Avintes. O programa tem o tema “Lugares Comuns” e inclui ainda várias conferências, a exibição de 15 filmes, ações educativas, leituras de portefólios e prémios.

Para já, em Guimarães, podemos ver Sudor, de Vasco Rafael Carvalho, no B-Lounge da UMinho de Azurém. É um diálogo sórdido entre o que se esconde e o que se revela. Observam-se os espécimes e seus rituais em autênticos diálogos animalescos. "Entre uma aproximação arrastada e uma nitidez franca, num ambiente denso e febril, canalizam-se os sentidos. Sem pudor, revelam-se fragrâncias e gestos que desenham um só final", descreve a organização.

Sábado é dia de inaugurações. Às 16h00, no CAAA - Centro para os Assuntos da Arte e Arquitetura, Ponto de Chegada, de André Rodrigues, é ponto de encontro para uma reflexão sobre a transformação do Alentejo. Numa inversão radical do fenómeno da década de 60, a região transformou-se de ponto de partida a ponto de chegada. Milhares de imigrantes oriundos de países asiáticos, estão a alterar profundamente a demografia do litoral alentejano. Aliada ao ritmo da chegada destes trabalhadores, verificou-se a proliferação do trabalho precário e exploração urbana.

Antes, no Paço dos Duques, pelas 15h00, Mag Rodrigues apresenta Família. A mostra incide na "enorme transformação" da noção de família, "uma rede afectiva, consistente e estável, de partilha e de amor incondicional, normalmente constituída num espaço seguro denominado «casa». "No universo LGBTQI+, dois homens, duas mulheres ou uma pessoa com filhos podem construir, têm construído e continuarão a construir esta casa. Famílias constituídas por casais de pessoas do mesmo sexo, mães lésbicas, pais homossexuais e pais e mães bissexuais e/ou transgénero são os rostos da diversidade familiar que, contudo, não encontram representação no quotidiano português, que permanece dominado pela heteronormatvidade".

O projeto fotográfico FAMÍLIA retrata famílias LGBTQI+ residentes em Portugal. São retratos na intimidade das suas casas, que pretendem oferecer visibilidade e representatividade a estas famílias, bem como demonstrar que em nada se distinguem de famílias ditas tradicionais. 

A abertura dos Encontros deste ano aconteceu dia 17, na Galeria do Paço, no edifício da Reitoria da Universidade do Minho, em Braga. 

Os Encontros da Imagem são "o maior festival de fotografia existente no país" e emparceira os grandes festivais de fotografia europeus.O evento tem o apoio institucional do Ministério da Cultura, da Direção-Geral das Artes, da UMinho e do Município de Braga, além do apoio das embaixadas e da Colômbia, entre outros. O catálogo de 240 páginas da presente edição está em acesso livre em ebooks.uminho.pt. Este festival é uma referência em Portugal pelas suas caraterísticas e dimensão e é um dos mais antigos e reputados do género na Europa, valorizando a arte pelo seu lado estético, de intervenção e de reflexão. Mais informações em encontrosdaimagem.com.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #35