skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
27 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Pantera moribunda aproveita o adormecer do Vitória SC para pontuar

Redação
Desporto \ sábado, dezembro 16, 2023
© Direitos reservados
Vitória SC esteve a vencer uma hora no Bessa, dominou o encontro, mas acabou por adormecer na segunda parte. Não matou o jogo e acabou por sofrer o empate, de penálti, nos descontos.

Álvaro Pacheco já faria contas a mais três pontos. Estiveram no bolso. Mas, uma segunda parte em que o Vitória SC adormeceu e foi pouco aguerrido valeu a perda de dois pontos no Estádio do Bessa, no duelo com o rival histórico, o Boavista.

A fase que ambos os clubes atravessavam, e atravessam, é claramente distinta. O Vitória pôs-se em vantagem com um golo de Jota Silva à passagem da meia hora de jogo, na sequência de um lance de bola parada, e controlou as operações perante um Boavista que aparentava não ter capacidade para reagir.

Mas, um lance na área do Vitória SC já nos descontos entre Maga e Resisinho deu em penálti e dessa forma, mesmo moribunda numa série de cinco jornadas a perder, os axadrezados conseguiram regressar aos pontos, num empate muito festejado pelas hostes do Bessa.

No sempre apetecível duelo com o rival Boavista o jogo não foi brilhante. Longe disso. Com um relvado a não estar nas condições ideais, o embate foi sobretudo muito disputado, a luta pela posse de bola fez-se em cada metro de terreno e cada lance foi encarado como se fosse último.

Ou seja, faltou inspiração, mas não faltou transpiração de parte a parte. Mesmo neste cenário foi a equipa de Álvaro Pacheco a que ao longo dos noventa minutos demonstrou mais capacidade para amealhar os três pontos perante um Boavista que atravessa um mau momento, aprestando-se para este jogo somando por derrotas as últimas cinco jornadas.

Num momento claramente mais positivo, por sua vez o Vitória SC foi ao Bessa sem duas das suas referências ofensivas. João Mendes e André Silva figuraram no boletim clínico e foram rendidos por Nélson da Luz e Adrián Butzke, dois elementos que fizeram este sábado a estreia enquanto titulares esta temporada.

Sem dois dos elementos que têm sido preponderantes no ataque, mas com mais de dois mil adeptos na bancada, o Vitória SC apontou o golo à passagem da meie hora de jogo na sequência de um lance de bola parada. Tiago Silva bateu o livre na esquerda, a castigar falta sobre o assobiado Mangas, com a bola a ser desviada ao de leve por Jota Silva, enganando o guarda-redes.

Foi, então de bola parada, que os conquistadores se puseram na frente do marcador, minutos depois de terem ficado próximo do golo também num lance de bola parada em que o desvio de Tomás Ribeiro quase fazia efeito, abrindo aí ao ativo, ao minuto 25 do encontro.

Em vantagem, o conjunto de Álvaro Pacheco ia controlando as incidências do jogo perante um Boavista pouco acutilante que se apresentou sem Petit no banco e com uma solução interina no comando técnico.

Foi evoluindo o cronómetro, o Vitória SC não matou o jogo, como se diz na gíria, e aparentava ter condições para isso, deixando-se ficar à mercê de uma vantagem mínima e de um lance fortuito. Foi, precisamente o que aconteceu. Veríssimo assinalou penálti num lance entre Maga e Reisinho, Tiago Morais não desperdiçou e fixou o resultado final no empate a uma bola. Um ponto de glória para o Boavista, dois pontos que o Vitória SC não deveria ter perdido.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73