skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
01 dezembro 2022
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

"Processo longo" ou "grande intervenção"? EB 2,3 São Torcato sai do papel

Pedro C. Esteves
Educação \ segunda-feira, junho 06, 2022
© Direitos reservados
Reabilitação da EB 2,3 de São Torcato custará perto de 5 milhões de euros. Foi hoje aprovada, em reunião de câmara, a abertura do procedimento para iniciar a obra.

A obra de reabilitação da Escola Básica do Vale de S. Torcato está agora mais perto de sair do papel. Isto porque aquela intervenção há muito cogitada foi levada esta segunda-feira a reunião de câmara e o início do procedimento foi aprovado por unanimidade.

O projeto de reabilitação e requalificação da escola ficou concluído no início 2021 depois de reuniões entre a Câmara Municipal de Guimarães, a DGEstE e a direção da escola. O assunto, aplamente discutido em anteriores reuniões do executivo, mereceu novos reparos de Bruno Fernandes. O líder da coligação Juntos por Guimarães saudou a abertura do procedimento, mas criticou o atraso da obra que deverá, segundo Domingos Bragança, arrancar antes do final do ano.

"Foi um processo longo. E isso é algo que nos tem separado nos últimos anos: entendemos que estes investimentos não deveriam demorar tanto tempo. Passaram oito anos [desde a apresentação da obra] e tem um volume importante de cinco milhões de euros", referiu o vereador natural de São Torcato. Bruno Fernandes mencionou ainda que o custo da obra será mais caro do que aquilo que tinha sido previsto inicialmente.

O autarca Domingos Bragança reiterou que este parque escolar era da responsabilidade do Estado. E lembrou ter "comunicado mal" a intenção da obra. "Se tivesse atendido ao que a DGEstE tinha pretendido a obra estaria concluída", disse. Há precisamente um ano o socialista reiterou o carácter mais profundo da intervenção: se à partida estava apenas prevista a “colocação de vidros duplos e pintura”, depois de uma visita ao estabelecimento escolar, surgiu a ideia de “fazer uma reabilitação intensa e aproveitar o átrio para fazer uma cobertura para servir a escola e a comunidade”.

Para explicar o atraso, Domingos Bragança respaldou-se também na diretiva europeia que dita que os edíficos devem "ter um ganho energético de 30%". "Não quis uma pequena obra, mas sim grande intervenção", concluiu.

O presidente da Junta de Freguesia de São Torcato reforçou o caráter "basilar" da intervenção. "Será o maior investimento público das últimas décadas na vila de São Torcato e permitirá que a comunidade escolar de São Torcato volte a ter a dignidade e a igualdade de oportunidades em comparação com outros estabelecimentos de ensino", escreveu o autarca na rede social Facebook.

De acordo com a agenda, a reabilitação da escola com quase quatro décadas terá um custo aproximado de 5 milhões de euros, sendo que ao preço base proposto há a possibilidade de o preço base das propostas poder subir 20%. “Propõe-se a abertura de um novo procedimento com um preço base de 4.835.471,10€, mas introduzindo a possibilidade do preço das propostas poderem subir 20% relativamente ao preço base, tal como previsto”, pode ler-se.

A escola vai “proporcionar melhores condições de utilização ao nível de conforto, segurança, tornando o edifício mais sustentável, através das energias renováveis”. A “boa solução estética e funcional da cobertura parcial do átrio da escola” foi uma das valências destacadas por Domingos Bragança aquando da apresentação do projeto.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #38