skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
21 julho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Rui Borges num “clube à nossa imagem: humilde, mas ambicioso”

Bruno José Ferreira
Desporto \ terça-feira, julho 04, 2023
© Direitos reservados
Treinador que orientou o Mafra estreia-se na 1.ª Divisão ao serviço do Moreirense. Agradado com o "espírito de vitória" que transita da última época, admite que "faltam algumas peças" ao plantel.

No dia em que orientou o primeiro treino no relvado, apesar de há muito estar a trabalhar em Moreira de Cónegos, Rui Borges foi oficializado como treinador do Moreirense FC e falou aos jornalistas, à margem do apronto matinal desta terça-feira, na Vila Desportiva do emblema vimaranense.

O novo técnico olha para a aventura no Moreirense FC como “um desafio bom” para o qual ele, e a sua equipa técnica, trabalharam, ainda que, admita, “as responsabilidades aumentaram” com esta chegada ao principal escalão do futebol português.

Em relação ao que se pode esperar do Moreirense FC esta temporada, em que regressa ao convívio com os grandes do futebol português, Rui Borges – que na última época representou o Mafra – diz que “não podemos olhar para o Moreirense apenas pelo último ano em que esteve na Liga”. O técnico recordou que o clube “tem um passado belíssimo para trás, com história na Liga”.

De resto, ao assumir um clube que já representou enquanto jogador, “noutros tempos”, Rui Borges diz que está num clube à sua “imagem: humilde, mas ambicioso”, prometendo “humildade e capacidade de trabalho”.

No que ao plantel diz respeito, Rui Borges assume que “faltam algumas peças”. “Faz parte. É normal, estamos no início de época, a estrutura está a ser rigorosa no que falta, o que se acrescentar tem de ter qualidade, o critério é esse e não vamos ter pressa, porque se calhar os jogadores nesta fase estão muito inflacionados e temos de estudar bem o mercado”.

Mantendo a base da época passada, que garantiu a subida, o treinador acredita que “espírito de vitória”, que transita desse grupo, “é muito importante”. “Em alguns processos esse conhecimento mútuo dos atletas que aqui ficaram será importante”, concluiu.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73