skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
27 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

“Sim” categórico: sócios do Vitória SC aprovam venda de ações ao V Sports

Bruno José Ferreira
Desporto \ sábado, março 04, 2023
© Direitos reservados
Parceria efetiva-se a 14 de abril, mas o fundo sediado no Luxemburgo já “sinalizou” o negócio. Será um parceiro estratégico para a construção da nova academia.

Os associados do Vitória SC aprovaram de forma categórica a venda de 46% das ações da SAD ao fundo V Sports, detentor do Aston Villa, numa assembleia geral muito concorrida – tal como a foto documenta – que principiou depois das21 horas de sexta-feira e prolongou-se até cerca da 1hora da manhã deste sábado.

Foram às urnas 1102 associados, com a esmagadora maioria (966) a votar favoravelmente o único ponto da ordem de trabalhos, sendo que 136 associados disseram não à transmissão de 414 mil ações para este fundo.

Pedro Coelho Lima, diretor geral da SAD Vitória SC, explicou os trâmites desta parceria, que será efetivada a 14 de abril. António Miguel Cardoso, presidente do Vitória SC, frisou tratar-se de um parceiro credível que trata músculo, financeiro e de know-how em diversas áreas, que pode ajudar o clube a dar o salto ambicionado.

Nas várias intervenções, em respostas aos associados, António Miguel Cardoso frisou que “este parceiro é alguém que pode ajudar” no processo de construção da nova academia do clube, “mal a Câmara [Municipal de Guimarães] liberte os terrenos” para a execução desse projeto. De resto, o presidente do clube confirmou que já houve entrada de dinheiro proveniente do fundo no clube, “sinalizaram” o entendimento, sendo que caso a proposta não fosse aprovada teria de ser devolvido.

Pinto Lisboa: “Parceiro que pode acrescentar muito ao nosso clube”

Miguel Pinto Lisboa, anterior presidente do Vitória SC, esteve na assembleia geral e usou da palavra, confirmando que já tinha encetado negociações com o V Sports, mas na altura a parceria acabou por não avançar.

O ex-líder do clube Considerou o fundo com sede no Luxemburgo, liderado pelo egípcio Nassef Sawiris, um “parceiro credível” que “nos termos certos pode acrescentar muito ao nosso clube”.

Entre outras considerações, António Miguel Cardoso reconheceu que a almofada financeira apresentada em campanha “fugiu”, por várias vicissitudes como a subida das taxas de juro e outras variações da banca. Um dos momentos da noite deu-se quando o associado número 192, com vários anos de sócio, a usar da palavra e a galvanizar o pavilhão, pedindo “união” e “ambição”.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73