skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
03 dezembro 2022
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Sindicato acusa administração do Hospital de "proibir" atividade sindical

Redação
Sociedade \ terça-feira, abril 26, 2022
© Direitos reservados
CGTP diz que foi proibida uma reunião com os trabalhadores da cantina do Hospital de Guimarães. Hospital diz que local onde se pretendia realizar está pendente de agendamento.

A CGTP-IN acusa a atual administração do Hospital de Guimarães de proibir toda a atividade sindical no interior do hospital ao impedir a entrada de dirigentes e delegados sindicais. 

O Hospital da Senhora da Oliveira (HSOG) contradiz a acusão do sindicato. Contactada pelo Jornal de Guimarães, a instituição informou que a sala prevista para a reunião está pendente de um agendamento. O pedido, feito na véspera, explica a fonte, não recebeu luz verde por incompatibilidade de agenda, tendo sido requisitada ao sindicato nova data.

A central sindical emitiu esta terça-feira um comunicado em que diz ter sido proibida "a realização de uma reunião de trabalhadores da cantina", pertencentes à empresa concessionária do serviço de refeições Itau, S. A. Esse facto obrigou, segundo a CGTP,  a que os trabalhadores reunissem com o sindicato na rua.

"Desde que esta administração do hospital tomou posse nunca mais foi possível realizar reuniões de trabalhadores nesta cantina", lê-se na nota informativa emitida pela CGTP. "Esta postura da administração do Hospital de Guimarães é intolerável e ilegal e, não abona o bom nome do hospital", continua. 

A nota lembra ainda que o direito de reunião e o direito à atividade sindical nas empresas "são direitos fundamentais previstos na Lei e protegidos pela Constituição da República Portuguesa".

Nota: notícia atualizada às 17h15 com justificações do HSOG

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #38