skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
27 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

“Uma marca para a cidade” em forma de mural que indica o caminho vespista

Bruno José Ferreira
Sociedade \ quinta-feira, junho 30, 2022
© Direitos reservados
Mural inaugurado, oficialmente dada a ordem para acelerar nas vespas. European Vespa Days já arrancou e será "uma marca para a cidade".

Ignição ligada, capacete colocado. Agora é acelerar. Arrancou oficialmente o European Vespa Days, um evento à escala planetária que este ano monta quartel-general em Guimarães. A aldeia vespista está instalada no multiusos e até domingo faz de Guimarães a capital dos amantes da icónica mota.

“Vão ser dias memoráveis”, vaticinou Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal no aquecimento para o arranque oficial do evento, ao inaugurar um mural dedicado ao European Vespa Days. Da autoria do artista vimaranense Nelson Xize, com sensivelmente duas dezenas de metros, o mural retrata “a ideia do ambiente do culto vespista em Guimarães”, segundo o autor.

Para trás ficam cidades em que o evento se realizou, representados no trabalho artístico: na frente de um mini pelotão vespista segue D. Afonso Henriques: “o rei à frente a guiar as vespas para este evento”, aponta Nelson Xize.

Sempre com o ruído de fundo das motorizadas a passar, Bragança olhou para o mural com um paralelismo para o European Vespa Days. “É uma marca para a cidade. O Nelson Xize tem dado esta expressão cultural à cidade, sempre com a afirmação de Afonso I na fundação de Portugal”.

Mais do que uma marca para a Guimarães, Álvaro Mendes, do Vespa Clube de Portugal, olha para o mural como “uma marca para a cidade e para o vespismo nacional e internacional”. Juntamente com Domingos Bragança, também o vereador Nelson Felgueiras marcou presença na inauguração do mural e no pontapé de saída do encontro mundial de vespas.

Vão andar por aí até domingo, e o enxame que já se faz sentir vai aumentar.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73