skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
01 dezembro 2022
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

UMinho giza primeira plataforma nacional para arte rupestre

Pedro C. Esteves
Cultura \ sábado, abril 17, 2021
© Direitos reservados
Projeto "fundamental" vai ser apresentado este domingo. E vai permitir que dados digitais de arte rupestre sejam "salvaguardados e conectados a repositórios internacionais".

O projeto Repositório de Arte Rupestre de Acesso Aberto, coordenado por Natália Botica, da Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho, vai ser apresentado este domingo, às 15h00, via Zoom. A iniciativa insere-se no Dia Internacional dos Monumentos e Sítios.

O projeto, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, no âmbito do “Vale do Côa International Research Awards”, pretende criar a primeira plataforma nacional para arte rupestre, dando visibilidade aos dados, metadados, imagens e modelos 3D de arte rupestre, para que sejam disponibilizados em acesso aberto, algo "fundamental para incentivar a sua reutilização em novos estudos, serviços turístico-culturais e oferecendo ainda a possibilidade de análise à luz de novas tecnologias", indica a UMinho em comunicado.

"Os benefícios da existência deste serviço nacional são grandes, pois vai permitir que dados digitais de arte rupestre sejam salvaguardados, acessíveis, reutilizáveis e conectados a repositórios internacionais", dá nota a instituição. A primeira fase do projeto pretende aumentar o conhecimento sobre a arte rupestre da Idade do Ferro e as sociedades que a criaram no vale do Côa, bem como construir novas redes de melhores práticas para apoiar a preservação e disseminação aberta de dados arqueológicos e a criação de parcerias de pesquisa mais inclusivas. É intenção de ir alargando aos poucos este projeto de três anos a outras cronologias e geografias.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #38