skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
18 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Coelho Lima quis assinalar “importância” da UNU para Guimarães com visita

Redação
Política \ segunda-feira, junho 19, 2023
© Direitos reservados
O deputado crê que a única delegação da Universidade das Nações Unidas na Península Ibérica, vocacionada para a governação eletrónica, não é mais conhecida porque não está em Lisboa.

Deputado do PSD na Assembleia da República, André Coelho Lima visitou esta segunda-feira o polo da Universidade das Nações Unidas (UNU) sediado em Guimarães, vocacionado para a governação eletrónica. Um dos objetivos da visita foi o de afirmar a importância desta unidade de investigação, a única do organismo internacional na Península Ibérica.

"Portugal não tem consciência que tem aqui a única Universidade das Nações Unidas da Península Ibérica e a única organização das Nações Unidas em Portugal, a não ser naturalmente a delegação oficial das Nações Unidas em Lisboa, que é a representação oficial. As pessoas não têm consciência disso por uma razão só: porque não é em Lisboa. A vinda cá quer também assinalar essa circunstância: fazer a parte que me compete para a importância nacional de uma organização destas em Guimarães", realçou, ao Jornal de Guimarães.

Vereador da Câmara Municipal de Guimarães em 2014, ano em que se decidiu a implantação da unidade operacional no Centro Avançado de Formação Pós-Graduada, em Couros, André Coelho Lima lembra o quão a “ideia foi acarinhada” pelo Governo de então, com “envolvimento direto e pessoal do então Primeiro-Ministro, Pedro Passos Coelho”, “sem o qual esta instalação não teria sido possível”, alega.

O deputado vimaranense já interveio, aliás, na Assembleia da República a propósito da UNU, a propósito do pagamento das verbas à instituição a cada período quinquenal. “O Governo anterior, da coligação PSD-CDS/PP, fez o pagamento na altura certa. Este Governo está a fazer o pagamento em 2023 quando termina o quinquénio. O quinquénio 2018-2023 termina agora, e é só agora que vai ser feita a transferência”, realça.

A Assembleia da República, recorde-se, aprovou um acordo suplementar, apresentado por André Coelho Lima na Comissão de Negócios Estrangeiros, que permite a continuidade da Universidade das Nações Unidas em Guimarães, graças a um financiamento de 4,7 milhões de euros e diligências previstas no sentido de angariar um montante adicional de um milhão de euros.

Sediada em Tóquio, no Japão, a Universidade das Nações Unidas coordena 13 unidades operacionais, 11 delas consideradas institutos – só a UNU-eGov, em Guimarães, e a unidade operacional de Soluções Inovadoras para Desafios Políticos, em Nova Iorque, não o são. A diretora da unidade de Guimarães, Delfina Soares, já expressou o desejo de ver a unidade elevada a instituto.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73