skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
19 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Vaudeville Rendez-Vous arrancou com formação. E propõe 11 espetáculos

Redação
Cultura \ terça-feira, julho 18, 2023
© Direitos reservados
As oficinas marcam o primeiro dia da nona edição do festival de novo circo, com o Paço dos Duques a acolher malabarismo. Esse será também o palco da estreia nacional de “Grasshoppers”, na quinta.

Os movimentos do novo circo já agitam as quatro cidades do Quadrilátero Urbano – Barcelos, Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão -, a exemplo do que acontece desde 2014. Promovida pelo Teatro da Didascália, coletivo cultural sediado em Joane, a nona edição do Vaudeville Rendez-Vous propõe, até sábado, 11 espetáculos distribuídos pelos quatro territórios, mas as protagonistas do primeiro dia são as oficinas de formação em dança, movimentos aéreos e malabarismo. O Paço dos Duques de Bragança recebeu o primeiro workshop de malabarismo nesta terça de manhã, por Hugo Maciel, artista que conduz nova sessão de formação na quarta-feira, também a partir das 09h30.

Dos 11 espetáculos agendados, a estreia nacional de En attendant le grand soir, do coletivo francês Le Doux Supplice, é o primeiro a ser apresentado, no Largo do Pópulo, em Braga, a partir das 22h00 de quarta-feira. Guimarães acolhe, por seu turno, a estreia nacional de Grasshoppers, uma obra do Circus Katoen que aborda a “reprodução da resiliência e vulnerabilidade da natureza” e o papel dos humanos nesse universo. Nesse espetáculo marcado para as 19h00 de quinta-feira, a neerlandesa Sophie van der Vuurst de Vries e o belga Willem Balduyck procuram aproveitar a relva do jardim do Paço dos Duques de Bragança para apresentar “remover um pedaço de verde do seu habitat natural e o trá-lo acima do nível do solo usando cavaletes, pranchas, cordas e os seus corpos”, enquanto amostra de “uma parte da natureza que acaba em situações não naturais, uma especialidade da humanidade”.

 

Museu Alberto Sampaio, Feira do Pão e Plataforma das Artes: os outros palcos

A cidade-berço recebe, nesse mesmo dia, Runa, espetáculo de Amer Kabbani em estreia nacional no pátio do Paço dos Duques, a partir das 22h00. No dia seguinte, Ária, da companhia luso-brasileira Nordestinys, estará no jardim do Museu de Alberto Sampaio a partir das 19h00, e Smashed 2, dos ingleses Gandini Juggling, no Largo Condessa do Juncal – também designada de Feira do Pão -, a partir das 22h00.

Guimarães acolhe mais três espetáculos no último dia: Raiz, no Paço dos Duques, a partir das 11h00, Carmim, do coletivo português Coração nas Mãos, a partir das 19h00, novamente no Museu Alberto Sampaio, e Maña, da Companhia Manolo Alcântara, às 22h00, na Plataforma das Artes e Criatividade. As restantes apresentações - Solos a 180º, Truel Destino! Um suor de esperança... Passages, além de En attendant le grand soir - distribuem-se pelas outras três cidades.

Adicionalmente aos espetáculos às quatro oficinas, pensadas para participantes com e sem experiência, a programação da nona edição do Vaudeville Rendez-Vous inclui um conjunto de iniciativas paralelas destinadas a alunos, artistas e outros profissionais do setor das artes performativas. Entre elas, incluem-se uma sessão de pitching, às 11h00 de sábado (21 de julho), no Palácio Vila Flor, limitada a programadores e a agentes artísticos.

Também está prevista uma mesa-redonda dedicada à “Escrita e Nova Dramaturgia no Circo”, no dia 20 de julho, às 11h00, no Salão Nobre do Museu dos Biscainhos, em Braga. Promovido pelo projeto italiano Roundtrip, o debate – cuja participação está sujeita a inscrição – vai proporcionar um momento de partilha entre agentes culturais e artistas, apelando à reflexão sobre a importância da dramaturgia na escrita circense e sobre os obstáculos encontrados durante o processo criativo.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73